Prefeitura - Carnaval
Coluna

Silêncio

Luiz Hozumi

Luiz Hozumi

Luiz HozumiProdutor cultural, publicitário, especialista em gestão e políticas culturais. [email protected]

31/10/2019 06h00Atualizado há 3 meses
Por: Redação

Aquele silêncio constrangedor pairava sobre as mais brilhantes mentes, da mesma forma que ensurdecia outras ainda tão confusas quanto perdidas. Não se falava mais sobre o dia-a-dia, não se falava mais sobre a chuva que vinha, ou sobre a vizinha que foi vista fazendo o que queria. Não se falava mais sobre o futebol do final de semana, daquele churrasco com os amigos, da saideira do happy hour de sexta. Não se falava de filosofia, nem a do boteco, nem a da vida. Sociologia virou tabu, só pelo prefixo do substantivo, já que do sufixo ninguém mais entendia. Falar sobre arte estava proibido. Nenhum espetáculo, nenhum show, nenhuma exposição.

Banidos foram todos os assuntos ideológicos, como se não houvesse mais ideias na cabeça das pessoas. Nem na cabeça, nem nas ruas, muito menos nas palavras. Não se falava sobre nada. O assunto acabou! Morreram as discussões, os debates, as rodas de conversa, os bate-papos. Vazios ficamos depois de tantos absurdos onde descabidas reformas reformularam nosso jeito de não viver. Enquanto a censura estendia bandeira, enquanto o preconceito pintava a avenida, enquanto o fogo ardia, enquanto o óleo chegava, enquanto o porteiro avisava, ficamos calados.

Aquele silêncio constrangedor pairava enquanto a gente parava para ver o bando passar. Desfilaram, fizeram selfie, sorriram e falaram, falaram tanto, tanto e tanto, falaram por todos nós, falaram além de nós, falaram sobre nós. E agora que permanecemos em silêncio, parece impossível desatar estes nós que deixamos sobre nós mesmos. Amarras silenciosas de vergonha alheia e nossa própria. Alguém pode romper esse silêncio?

 

UFTM PREPARA JORNADA DE ESTUDOS EM HOMENAGEM A CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Serão oficinas, performances e palestra com Prof. Dr. Gustavo Ribeiro (UFMG) nesta quinta, dia 31 de Outubro às 14h. O Centro Cultural da UFTM fará o Dia D, evento em homenagem ao poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade. A entrada é gratuita e acontece na Sala Multiuso Porta Laranja, na Avenida Getúlio Guaritá 159.

 

AFONSO PADILHA FAZ AGUARDANDO SHOW STAND UP EM UBERABA

Comediante, humorista e roteirista, o curitibano Afonso Padilha chega a Uberaba nesta sexta, dia 01 em duas sessões, uma às 20h e outra às 22h no Teatro Sesiminas. A produção é do Zebu em Pé, grupo de comédia da cidade. Em Alma de Pobre Padilha fala sobre estigma social, usando histórias pessoais pra ilustrar o quando não importa o quanto você ganhe dinheiro continuará sendo pobre.

 

ESPETÁCULO SOLO SOBRE MINEIRIDADES ABRE A SÉTIMA EDIÇÃO DA MÍNIMA CENA

“O Causo Geraldo ou A Infinita História de Amor em 7 Noites de Lua Cheia”, como ele mesmo gosta de chamar, conta da infinita história de amor entre um Geraldo Lopes e uma cabocla Nadirinha e dos fabulosos acontecidos em torno deles. O solo de Gustavo Pacheco, que retrata o jeito mineiro de ser, abre a sétima edição da mostra de cenas curtas de teatro, a Mínima Cena no Teatro Sesiminas Uberaba, nesta quinta, dia 31 de Outubro às 20h. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro que fica na Praça Frei Eugênio 231. 

 

MOSTRA DE CENAS CURTAS DE TEATRO AQUECE A PRODUÇÃO ARTÍSTICA NA CIDADE

Em 04 dias de evento a sétima edição da Mínima Cena - Mostra SESI de Cenas Curtas pretende movimentar a produção teatral na cidade. Em edições anteriores a mostra sempre priorizou o fomento da criação artística, tanto profissional, quanto de estudantes. Neste ano mais de cem artistas já confirmaram a participação em 14 cenas diferentes das cidades de Uberaba, Uberlândia, Patos de Minas e Jundiaí. A mostra competitiva acontece no sábado e domingo, dias 02 e 03 de Novembro às 19h no Teatro Sesiminas, além das cenas curtas o público ainda confere Living Paintig de Clayton Tomaz da Costa com pintura que ficará em exposição no Mural do teatro. A programação completa no site.

 

LAB96 APRESENTA MOLHO NEGRO E STOLEN BYRDS

As bandas de lugares opostos do país, Molho Negro do Pará e Stolen Byrds do Paraná, se apresentam nesta sexta, dia 01 de Novembro no Laboratório96. Molho Negro mistura caos, ironia, refrões grudentos, sarcasmo, barulho e falta de perspectiva. Já Stolen Byrds mescla elementos stoner, blues, rock and roll e psicodelia, alcançando um som mais enérgico e visceral. A casa que fica na Praça Comendador Quintino 144 abre às 21h. Os ingressos podem ser adquiridos no local. 

 

AGENDA FUNDAÇÃO CULTURAL DE UBERABA

31/10 | Feira Gastronômica

Praça do Quartel | 19h

 

31/10 | Palestra Tia Má (Maíra Azevedo) - “Empoderamento Negro” 

Teatro Vera Cruz | 19h30 

 

1º/11 | Feira Gastronômica

Praça Dom Eduardo | 19h   

 

02/11 | Batalha do Calçadão - Talentos Cidadania

Batalha de MCs, shows, roda de break, game of skate e livepaint

Calçadão Artur Machado | 16h 

 

02/11 | FeirArte

Praça Jorge Frange | 19h

 

03/11 | Domingo na Concha 

Aniversário de 22 anos da Banda Erva Matt 

Praça da Concha Acústica | 12h 

 

03/11 | Circo do Povo apresenta ‘Alunos, professores e convidados em um Grande Espetáculo’ 

Teatro Vera Cruz | 18h