Mosaic
Eventos

Coluna social

Fabiana Silbor

Fabiana Silbor

Fabiana SilborFabiana Silbor é Professora Universitária, radialista, apresentadora de televisão, jornalista, palestrante, gestora empresarial, articulista e pesquisadora nas áreas de ciências sociais e empresariais. Referência midiática, ela está no Jornal de Uberaba há nove anos, com uma página que promove conteúdo exclusivo, reflexões modernas, complexas e com doses cítricas. Fabiana Silbor foi repórter e apresentadora das Redes Integração, afiliada Globo, e Bandeirantes de Televisão.

03/11/2019 06h00
Por: Redação
Aniversariante lindíssima e querida, Denise Carvalho, celebrou a data especial com pessoas do coração. Ela merece o que há de mais bonito. Parabéns
Aniversariante lindíssima e querida, Denise Carvalho, celebrou a data especial com pessoas do coração. Ela merece o que há de mais bonito. Parabéns

Novembro começou com finados

E isso é providencial.

Afinal, você sabe que dia vai morrer?

Então, também, pouco sabe sobre o tempo que vai viver.

Essa é uma boa pergunta, apesar das nossas rejeições a ela.

 

Sem data de validade precisamos evoluir

Essa reflexão é útil, principalmente, nesse fim de semana onde quem manda é a saudade.

A perda nos põe contra a parede e logo perguntamos: Por que isso está acontecendo comigo?

No dia de finados ficamos com o “se” de companhia.

“Se” eu conseguisse voltar no tempo, “se” eu tivesse falado, “se” eu pudesse...

Mas, é tão cruel repensar histórias cujo final não vai mudar.

 

Aprender

Essa dor tremenda ensina, para sempre, a recomeçar e a sermos melhores agora.

Comprova que devemos fazer aquilo que sonhamos, que sentimos, que amamos.

Ela é um lampejo de coragem e motiva parar com os adiamentos, as incompreensões, as raivas e a celebrar os perdões.

 

Continue

A gratidão abençoa quem se foi e a atitude demonstra o amor para quem está aqui.

No feriado feito para homenagear os mortos, lembre-se, também, dos vivos e lute por sua felicidade e por quem você ama.

Se estiver difícil, apenas dê o próximo passo.

 

Cultive relações

Preparar e cuidar para que produza positivamente. Esse é um hábito importante nas vivências com as outras pessoas. Esse zelo renova coragens e pluraliza vontades. A atenção é a resposta para nutrir o crescimento de relações. O que define essa prosperidade é a qualidade dessa presença.

 

Tenha conteúdo

Tragédia é, também, o descaso produzido, nessa época, infelizmente, por gente rasa. Sem interesse de participação comprometida buscam-se facilidades a qualquer preço. Nessa seara de embates entre idealistas e capitalistas, o relativismo promoveu a disseminação da crença de que vale tudo. Perde-se a dignidade nos ringues onde seres ditos humanos despem-se de valores.

 

Contribua com conhecimento

Que miséria os que sonegam o compartilhar. Tomam para si o que foi dado pela conjuntura de grandezas naturais compreendendo que o saber deve ser segregado, exclusivamente, à produção individual. Uma sociedade que se recusa a disseminar o conhecimento para o coletivo, revestida de tentáculos corruptos, fracassa. Essa derrota é símbolo de todos como reféns da ignorância.

 

Compartilhe seus ideais

Mostre um bom exemplo. Tenha brio. Vergonha na cara, para olhar para o outro com compaixão sincera e quando preciso apresente-se. Mais do que um desleixo, a covardia é o maior construtor de destruições. Os levantes dos homens e mulheres de bem combatem os abusadores e mostram que numa sociedade harmônica e respeitosa reside a próspera possibilidade de progresso.

 

Seja produtivo e sustentável com os recursos

Há muito desperdício. Inacreditavelmente descartam com hipocrisia uníssona bens sagrados que mantiveram a espécie viva. Ambientalmente há uma ecologia amoral sendo aceita esquivada entre os desprimores de líderes ensandecidos pelo poder. Árvores derrubadas clandestinamente e enterradas  são representações de uma época de valores anestesiados que permitem a depredação da dignidade. Assim como a morte de um sistema incrível, agora poluído, caminhamos entre grupos, também, contaminados. Zumbis de uma modernidade onde o dinheiro compra tudo, até a ética.

 

Seja capaz de prever o futuro

Para isso construa agora. E que venham bênçãos para essa sabedoria que somos carecidos. Pois transitamos impulsionado por ilusões. E acometidos de certos desvios concebidos em um ritual de rotina equivocada ficamos birrentos por atendimentos que nos prejudicam. Singular é reconhecer o que fazer agora para nos tornarmos o que merecemos ser, o que nascemos para oferecer, a missão que nos compete no existir. Porque acobertados pelos padrões cínicos temos morrido em vão.

 

Reclame menos

A situação sempre será provida de duas potencialidades. Escolhendo compartilhar os pontos positivos de uma experiência renova-se o ânimo entre os pares. Motivação que transforma os dias em uma vontade de melhorar. O lado difícil se existe, ao ser potencializado reforça o cansaço e a solidão que temos aderido. Talvez com mais gratidão à evolução aconteça.

 

Adote interesses reais

Ou faça carreira teatral. Uma vida é pouco demais para fingir tanto. Sem data de validade é preciso reconhecer que a verdade liberta. Gerar relacionamentos fraudulentos promove ocos na alma. Vomitem os mais encantadores discursos defendendo a alienação, mas diante do enfrentamento do existir nunca haverá nada mais precioso do que o verdadeiro sentimento no coração.

 

Seja voluntário

Ame os estranhos, mas ame, também, o conhecido que traz sua intimidade para compartilhar e que no meio desse desmascarar revela suas fraquezas que requerem habilidade de afetos para serem vencidas. Seja voluntário em fazer o bem a quem lhe quer. Reconheça seus companheiros na vida. Trate com zelo quem está com você nesse caminhar. Se um desconhecido merece toda a atenção, que dirá quem está nos nossos laços de sangue ou de opção. Seja voluntário nessas relações, inclusive, porque essa carência exagerada e ambiciosa, vitimada e sustentada por dívidas promíscuas nos tira a grandeza de seres racionais que pensam e escolhem fazer porque querem, acreditam e constroem e não, apenas, para ter algo em troca.

 

Peça sabedoria

Sobretudo para diferenciar as vozes que clamam internamente. Distinguir as que falam em nome da inspiração protetora e abençoada das falsas que ficam nutridas pelas culpas arrastadas, motivadas pela quebra precoce das inocências. Há um temor alarmante em conflito medindo forças entre o levante romântico de uma vida onde o justo impera e realidade que estraçalha essa ilusão e convoca um concreto explicito escancarando os despreparos que avassalaram o caráter.

 

  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias