Artigo

Paulo César de Oliveira

Jornalista e diretor-geral da revista Viver Brasil e do jornal TudoBH

Reflexões

ReflexõesArtigos diários

05/11/2019 06h00
Por: Redação

03 deu o recado

Não há como negar que o deputado Eduardo Bolsonaro afirmou, com todas as letras, que se as esquerdas acirrarem o embate político, pode vir um novo AI-5. Não houve, como se quer alegar, um mal entendido ou distorção de suas palavras. Difícil acreditar que ele tenha dito o que disse sem ter conversado ant4es com seu pai, o presidente Bolsonaro. Talvez não imaginasse - ou talvez até soubesse e fez a afirmação de caso pensado - que sua entrevista à jornalista Leda Nagle fosse repercutir tanto, provocando reações como um rastilho de pólvora.

Depois da terra arrasada quis pedir desculpas. Na verdade, o governo Bolsonaro diariamente dá um susto em sua equipe, mesmo se sabendo que ele é do embate. É que ele e os filhos têm extrapolado. As crises geradas pelos exageros verbais vindos do Planalto e adjacências só não são mais graves, admitem apoiadores, pessoas de peso na sociedade e na política, porque o presidente formou uma equipe da melhor qualidade para compor seu governo. A começar do ministro Paulo Guedes, tido como um dos pilares do que chamam de nova economia que, mesmo aos trancos e barrancos, vai conseguindo avançar com as reformas e no objetivo de modernizar e destravar a atividade econômica.

Mesmo que timidamente, a economia está reagindo, resultado principalmente da confiança que o governo tem conseguido passar a empresários e consumidores. Os frutos, garantem os especialistas, começam a ser colhidos já em 2.020. Mas, queiram ou não, os avanços econômicos obtidos até agora são o resultado da ação dos presidentes Davi Alcalumbre, do Senado, e Rodrigo Maia, da Câmara, que estão fazendo com competência o “dever de casa” apesar das trombadas com o ministro Paulo Guedes e as trapalhadas políticas de Bolsonaro. Mesmo com este fardo, eles têm conseguido fazer as reformas caminharem. Toda esta balburdia, esta falta de compromisso com ideias e projetos, mostram que precisamos, urgentemente, de uma reforma política que nos permita eleger homens e partidos comprometidos com causas definidas. Uma pena que isto não passe pela cabeça dos congressistas. Imaginar que fariam a reforma seria esperar muito deles.

 

Paulo César de Oliveira - Jornalista e diretor-geral da revista Viver Brasil e do jornal TudoBH

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias