Entrevista

“Sangue mantém vidas e até cura”, diz Dr. Paulo Juliano

Ele lembra que qualquer pessoa pode ser doadora, desde que atenda as normas

10/11/2019 06h00Atualizado há 3 dias
Por: Redação

 

Maria das Graças Salvador

O coordenador do Hemocentro Regional de Uberaba/Fundação Hemominas, dr. Paulo Roberto Juliano Martins, fala ao Jornal de Uberaba sobre a importância da doação de sangue, produto único que somente o ser humano produz. Lembra que qualquer pessoa pode ser doadora, desde que atenda as normas, como ter idade entre 16 anos a 65 anos e saúde física. Com o feriado prolongado aumenta a necessidade de sangue para manter o estoque, e conclama a população a fazer sua doação nesta semana que antecede o feriado e mesmo depois, porque o sangue é primordial para salvar vidas.

 

JORNAL DE UBERABA – Como está o estoque do banco de sangue no Hemocentro?

Dr. Paulo Roberto Juliano Martins – O Hemocentro de Uberaba atende 27 municípios de toda a região do Triângulo Sul é da nossa responsabilidade e a gente tem necessidade de sangue para manter o estoque. Quando você colhe um sangue você esperar até 35 dias se mantém ele na temperatura de 2º a 6º graus na geladeira, mas sempre precisamos de sangue. Atendemos cidades como Araxá, Conceição das Alagoas, Frutal, Iturama, Uberaba, tudo é responsabilidade do Hemocentro. E o sangue é um produto que é insubstituível, ainda não tem sangue artificial. Ele é humano e salva muitas vidas. Hoje em dia cada vez mais a medicina está complexa, desde as cirurgias cardíacas, cirurgias de retirada de tumor, tratamentos com doenças do sangue, leucemia, linfomas, todas gastam muito sangue e derivados de plaqueta, que é um derivado do sangue, para evitar hemorragia. Além da rotina normal que temos, a cidade está aumentando de tamanho. Hoje para nós fazermos um transplante de médula óssea aqui na Faculdade de Medicina e é preciso sangue e suporte hemoterápico manter o indivíduo. Você faz a medula dele parar de funcionar para tirar as células leucêmica, e com isso você tem de dar o suporte e quem dá este suporte é o doador de sangue. É uma terapêutica ainda insubstituível. Apesar das células tronco e outras pesquisas, mas a transfusão ainda é um processo importante. 

 

JU – E vamos ter um feriado prolongado pela frente...

Dr. Paulo Juliano – Como teremos o feriado prolongado do fim de semana, o pessoal tem as libações alcoólicas, pode ter acidente automobilístico, acidente com arma branca, o indivíduo chega com hemorragia e a única coisa que mantém a vida dele com transfusão de sangue para manter a pressão, oxigenação para o cirurgião costurar os vasos que estão sangrando. A gente trabalha aqui 24 horas por dia. Na coleta de sangue é de segunda a sábado pela manhã e a tarde, mas fazemos transfusões 24 horas por dia, de sexta-feira da Paixão a Sexta-feira da Paixão. Não tem feriado, trabalhamos toda a cidade, toda região, para todos os hospitais, para tratamento de câncer e outros tratamentos, seja no Hospital Hélio Angotti, São Domingos, São Marcos, aqui no Hospital de Clínicas, hospitais de maior porte da cidade quem dá assistência somos nós. O Hospital de Clínicas corresponde por mais ou menos 50% do movimento de toda a cidade, além do Triângulo Sul. Então temos de ter o estoque de sangue ideal, como te mostrei no quadro, que é atualizado todos os dias. É um estoque estratégico que eu tenho de ter aquela quantidade de sangue. Quando abaixa, como vimos que os tipos O- e O+, que estão abaixo em mais de 50%, e A- e A+, que estão abaixo de 30%, temos de recorrer à comunidade de Uberaba e da região assistida. Temos doador de Uberaba e da região. Novamente convoco a comunidade para vir fazer sua doação. Qualquer pessoa pode doar sangue nesta semana de segunda a quinta ou na próxima semana após o feriado. Sexta e provavelmente sábado não vamos trabalhar na coleta, porque a pessoa pode estar de ressaca e aproveitam o feriado para viajar. Aqueles que não puderam vir antes do feriado venham na outra semana pós feriado para repor o que gastou.

 

JU – E quem pode doar?

Dr. Paulo Juliano – Qualquer pessoa, contando que esteja com saúde física, mental e espiritual boa, tenha peso superior a 50 kg, idade entre 16 e 65 anos. De 16 a 18 anos tem que ter consentimento dos pais. Uma pessoa acima de 65 às vezes tem uma saúde melhor que pessoas de 40 anos, mas não pode por questões de legislação. A medida que o indivíduo envelhece a probabilidade de ele ter doenças é mais fácil e temos de preservar a vida dele. A doação é isso, preservar a vida do doador, mas também olhar o receptor, por isso temos de selecionar o sangue da melhor maneira possível é fazer uma triagem clínica, hematológica. As mulheres podem vir doar, contando que não estejam grávidas. Homens podem doar a cada três meses e mulher a cada quatro meses, porque têm sangramento e a hemoglobina é mais baixa. Estamos aumentando o número de mulheres, era em torno de 30% dos doadores e estamos chegando a 40%. As mulheres estão dando um exemplo para os marmanjos, e isso é muito bom. Mas qualquer pessoa pode doar tranquilamente. E a população de Uberaba é muito boa muito, fidelizada. E quando divulga a resposta é imediata, por isso aproveito essa oportunidade para pedir ao leitor do JU à população que venha doar, para nos ajudar. Preocupamos com o receptor, mas também temos de preocupar com o doador, precisamos preservar a vida do doador de sangue. Fazemos uma triagem, porque o paciente não pode se submeter a um sangue que não está adequado. Fazemos em torno de 60 questões, medimos a pressão, faz a ponta do dedo para ver se não tem anemia. E aproveito a oportunidade para convocar e pedir a população de Uberaba para vir doar o sangue. Temos em média entre 60 a 80 coletas por dia. Aqui, em torno de 80% são doadores fidelizados, não querem saber para quem está doando, só querem ajudar, estar bem com Deus e com todo mundo e ajudar.

 

JU – O Hemocentro também tem uma coleta noturna?

Dr. Paulo Juliano – Fazemos a coleta noturna toda segunda quarta-feira do mês. Nesta quarta-feira, dia 13, faremos esta coleta noturna, por que muitas pessoas não podem vir aqui durante o dia, porque estão impossibilitadas, por trabalho ou outros compromissos e fazemos a coleta noturna das 16h às 20h. Então insisto, convoco a população para vir doar, porque estamos precisando principalmente do sangue O+, O-, A+ e A-. São estes que estão com estoque mais comprometidos e com o feriado prolongado do dia 15, pedimos para que o doador venha fazer a sua doação até na quinta-feira, lembrando da opção da coleta noturna na quarta.

 

JU – Qual é o horário da coleta?

Dr. Paulo Juliano – De segunda a sextas-feiras pela manhã das 7h30 até às 11h30, e a tarde das 13h30 às 17h. Aos sábados é das 7h30 às 17h. Às segundas quartas-feiras do mês é das 16h às 20h. E a população de Uberaba é muito boa, muito fidelizada. 

 

JU – Abriu um posto de coleta em Araxá?

Dr. Paulo Juliano – Está para abrir um Posto de Coleta Externa – Pace – e quem vai coordenar somos nós do Hemocentro de Uberaba. Fazemos coleta em Araxá uma vez por mês, mas lideranças da cidade, o Governo do Estado e um vereador que é sobrinho do governador [Romeu Zema] estão empenhados em ter um Pace e vai ser muito bom. Fazemos a coleta externa em vários municípios. Vamos para Santa Juliana, que é uma população maravilhosa, impressionante. Agendamos no município e levamos todo material, funcionários temos local adequado para colher, como em Iturama, Frutal, Conceição das Alagoas, Santa Juliana, Campos Altos e Araxá. Todo ano fazemos coleta programada, com estrutura e somos muito bem recebidos. O pessoal desses locais gostam de doar sangue e ajudam bastante. Nestas cidade temos agências transfusionais, colhemos o sangue e eles buscam o sangue no Hemocentro adequadamente, mantendo a temperatura e levam para estas cidade. O sangue fica estocado na geladeira, os funcionários fazem treinamento periódico. Precisou o sangue supre a cidade inteira. Pegamos todo Triângulo Sul e quando está abaixando o estoque deles, vêm aqui e pegam mais, periodicamente. Não precisa ficar esperando o sangue, porque nas urgências não pode esperar senão a pessoa falece. 

 

JU – Aumenta muito a necessidade de sangue nos feriados?

Dr. Paulo Juliano – O que acontece é que as cirurgias eletivas, que são planejadas, você pode remarcar para outra semana, mas cirurgias de urgência não tem como você postergar. Chega aqui uma pessoa que sofreu um acidente com arma branca, arma de fogo, a única coisa que mantém ele vivo é a transfusão então ele é mandado para cá ou para outros hospitais e seja onde for ele é atendido, nós temos de ter estoque e pedimos previamente. Quando o estoque está no vermelho, procuramos doadores para manter o estoque acima do ideal. Pelo menos de 10% a 20% para poder suprir as necessidades. Pacientes não têm feriado, não tem domingo. O indivíduo quando está doente, está doente, principalmente os que estão fazendo tratamento quimioterápico, leucemias, com linfomas. Às vezes não coincide que vai poder passar o feriado em casa com a família, porque ele está acamado e precisa do sangue. Esses indivíduos não têm feriado, acidente não tem feriado, mulheres podem dar à luz e ter hemorragias pós-parto e temos de estar preparado, temos que estar munidos de sangue para atender a rotina e também às emergências e as urgências.

 

JU – Já acontece de zerar o estoque?

Dr. Paulo Juliano – Não acontece porque a gente dá um grito via telefone e com a imprensa, que a resposta praticamente é imediata. Fazemos o controle.  

 

JU – E acontece de o doador ter problemas de saúde com frequência?

Dr. Paulo Juliano – Acontece, mas não é comum. Por isso sempre fazemos a triagem, a sorologia para ver as condições de saúde do doador. Fazemos periódico, um interrogatório, não é discriminação, mas temos de ter cuidados adequados para manter e preservar a saúde do doador e daqueles que vão receber o sangue, que é o receptor. A pessoa não pode beber a noite inteira e vir doar sangue, tem de esperar 24 horas. A pessoa passa para o checklist que não é de Uberaba, é do Ministério da Saúde, que estuda periodicamente um check-up. Fazemos exame para Chagas, sífilis, hepatite B e C, HIV, HTLD, toda sorologia e se deu alguma coisa alterada a gente repete o exame e chamamos e ele é encaminhado para todas as especialidades dentre do hospital e se ele tiver interesse pode procurar o tratamento fora.  Ele não fica sem orientação. Quem tomou transfusão nos últimos seis meses não pode, indivíduo que tem uma vida promiscua, uso de drogas. Estes exames são revistos periodicamente, por exemplo, na década de 70, não se sabia que tinha HIV e pode vírus emergente que não sabemos. Então não é discriminação, é para dar maior segurança para todos.

 

JU – Porque uma pessoa que faz tatuagem tem de esperar 12 meses?

Dr. Paulo Juliano – Tem um período que se chama o período de observação. Na hora de fazer a tatuagem você não sabe se a agulha foi esterilizada adequadamente, se usou em algum indivíduo que tenha doença pode transmitir para o outro. Pode ser que a pessoa pegou HIV, vou colocar de cara, o exame para dar positivo pode demorar até três semanas. Pode dar negativo três vezes e ter contraído a doença. Chama janela imunológica. Fazemos o Nat, que é o teste de aplicação do DNA, que essa janela imunológica era para ser 21 dias e passou para 10 dias. Melhorou muito a segurança e reduz a possibilidade de transmitir uma doença. O Hemocentro faz só o Nat. É igual a viajar de avião e ele cair e praticamente desapareceu o risco. Fazemos o Nat desde 1997 e já entrou na nossa rotina.

 

JU – O que é a importância da doação?

Dr. Paulo Juliano – Conclamamos a população a vir fazer sua doação. Muitos doadores são excelentes, mas já estão chegando na idade de parar de doar, 65 anos. Então chamamos os doadores boy, os atiradores do Tiro de Guerra, jovens com mais de 16 anos. Doar é um ato tranquilo.  Ele passa pela triagem, toma um pré-lanche, que é um suco de laranja, faz a doação em uma cadeira reclinável por 10 a 15 minutos, descansa um pouco e toma um pós-lanche mais reforçado. Mas é um produto insubstituível. Transfusão de sangue é uma terapêutica insubstituível e a matéria-prima você pode utilizar plaquetas, extrair derivados de plasma, hemácias para dar para indivíduo que tenha anemia e extrair hemoglobinas que é importante para a defesa do organismo. É uma matéria-prima complexa e uma doação pode atender três pacientes diferentes. A população de Uberaba e região é sensível a causa e ajuda muito. Em Minas Gerais, Uberaba é onde temos mais doadores fidelizados. Temos as torcidas organizadas que fazem comunidade para doação, os músicos do 4º BPM vêm aqui tocar a alegra os doadores. E conclamo a todos. No dia 25 será o Dia Nacional do Doador de Sangue e faremos evento a semana toda. Vamos dar a camiseta para os doadores com a frase vencedora do concurso neste ano. É importante porque estas crianças fazem ganham prêmios, o concurso sensibiliza a família e traz novos doadores. São multiplicadores. A população de Uberaba é altruísta e gosta de ajudar e se sente bem. Então re-enfatizo que estamos aguardando a população de Uberaba e região para fazer sua doação. Sempre tem uma pessoa precisando e mantem a pessoa viva e prolonga vida e às vezes até cura a vida.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias