Coluna

Vinhos & tal

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

29/11/2019 06h00Atualizado há 7 meses
Por: Redação

SAUTERNES

Hoje não vou falar de uma uva específica, mas sim de um estilo de vinho muito peculiar pela sua origem e método de vinificação. Eu até já falei aqui na coluna sobre este estilo de vinho que é produzido apartir de uma uva que é “atacada” pelo fungo Botrytis Cinerea. Na época, me referi ao vinho Tokaji, que é feito na Hungria e muito conhecido mundo afora. Hoje, quero falar sobre um outro, no mesmo estilo, só que produzido na França, mais precisamente na região de Bordeaux, que junto com a Borgonha, são consideradas as mais importantes regiões produtoras de vinhos do mundo! Vou falar do vinho Sauternes, cujo nome é de uma comuna que fica na região administrativa de Nova Campânia, departamento de Gironda, em Bordeaux, no sudoeste da França. Estes vinhos são vinificados a partir das uvas brancas Semillion, Sauvignon Blanc e Muskadelle, que depois de Botrytizadas,se transformam em vinhos  doces, para sobremesa (ou não), que são  maravilhosos e famosos no mundo todo. Dizem os historiadores, que   foi somente a partir do século 18, que a prática de usar uvas nobremente apodrecidas passou a ser abertamente assumida, já que antes, os produtores não revelavam, com temor de não aceitarem os seus vinhos. A partir de então, este estilo de vinho de Sauternes, passou a rivalizar com outros vinhos produzidos de maneira semelhante, como o húngaro Tokaji. Enfim, vamos a mais um artigo sobre vinhos e conhecer um pouco sobre esta maravilha de Baco!  Uma boa Leitura a todos!

 

Botrytis Cinerea

É um fungo, que em uma tradução mais correta, seria: podridão cinzenta! Ela ataca os frutos no final de sua maturação e normalmente ocorre em locais com muita umidade ou com índices pluviométricos altos.  Este fungo fura a casca e alimenta-se do sumo. Na uva deixa ela com um leve sabor de uva passa. Terroirs com estas características e com a ação sistemática da Botrytis Cinerea, são (somente) praticamente dois no mundo com qualidade, quantidade e regularidade: Sauternes, ao sul de Bordeaux, França e Tokaj na Hungria. 

 

Características 

Os vinhos Sauternes tem a tonalidade de ouro envelhecido e com o tempo pode evoluir para o âmbar. Está dentro da definição de vinho de guarda, é bem longevo, pois as safras especiais podem ser armazenadas por mais de cem anos.

Na ponta da língua o Sauternes é bem doce e no fundo da boca bem ácido. Tem aromas de frutos secos, nozes e especiarias. Os seus vinhos são bem caros, pois produzem pouco, e são elaborados a partir de uvas colhidas literalmente bago a bago, durante vários dias. Os vinhos Sauternes são ao mesmo tempo encorpados e aveludados, com ótimo equilíbrio entre acidez e doçura. Para ser um autêntico um Sauternes, deve ter um nível mínimo de 13% de álcool, por outro lado, não existe uma regulamentação sobre a quantidade exata de açúcar residual que o vinho precisa ter.

 

AOC’s mais importantes

Nesta região da França, que compreende o distrito de Graves e a aldeia de Sauternes, (cuja população é de 736 habitante), possui 6 AOC’s – Appellation d’origine contrôlée. São elas: Barsac (AOC), Cérons (AOC), Graves (AOC), Graves Supérieures (AOC), Péssac-Leognan (AOC), Sauternes (AOC). Cerca de 80% dos vinhedos da região de Sauternes são ocupados pela uva Sémillon,e 20% de Sauvignon Blanc e Muscadelle. Dentre todas estas AOC’s, a de Sauternes é a mais conhecida e famosa. Ela fica próxima aos rios Garonne e Ciron, e a temperatura da nascente do rio Ciron é mais baixa que a temperatura do rio Garonne, assim, no outono com o clima quente e seco, as diferentes temperaturas dos rios se juntam e produzem uma névoa que invade os vinhedos à noite. Pois é esta névoa que ajuda a criar o tal fungo.

E dentre os vinhos mais famosos deste estilo, o grande destaque são os feitos pela vinícola Château d’Yquem, que é considerado por muitos o melhor Sauternes e o  único classificado como Grand premier.

 

Harmonização

Este é um vinho bem versátil e combina bem com pratos salgados e doces. Dentre eles podemos citar aqui alguns bem sofisticados da culinária francesa, como o Foie Grass, como também, sobremesas bem comuns em nossas mesas aqui no Brasil, como o Pudim de Leite. Enfim, o vinho Sauternes harmoniza muito com, Panetone, Pavê com creme, Pêra assada com calda, Pudim de pão, Queijos azuis, Roquefort, Suflê, Tarte Tatin (creme de maçã), Tortas doces, entre outros.

 

Dica de vinho

VINHO: SAUTERNES CHATEAU FONTEBRIDE 2011

PAÍS: França

ESTILO: Doces Licorosos

CONTEÚDO: 375 ml% 

ALCOOL: 13,00%

TEMP. DE SERVIÇO: 4-6°C

SAFRA: 2011

COR: Amarelo palha e Brilhante

NARIZ: Bastante aberto oferece notas frescas de frutas cítricas e frutas exóticas 

BOCA: Evolui e apresenta os aromas suaves de manga e abacaxi maduro. Tem boa estrutura, acidez bem equilibrada, elegância e persistência. O final é longo e fresco. Brilhante.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários