Mosaic
Polícia

Gaeco prende criminosos em operação na região

As investigações da operação “Aquiles” se iniciaram há cerca de sete meses

03/12/2019 06h00
Por: Redação
Drogas, armas e dinheiro foram apreendidos na operação
Drogas, armas e dinheiro foram apreendidos na operação

Vários acusados de tráfico de drogas foram presos durante uma operação do Gaeco realizada em cidades da região.  Armas de fogo, veículos de luxo, dinheiro e entorpecentes foram apreendidos com os criminosos. 

De  acordo com informações de integrantes  do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), as investigações  da operação “Aquiles” se iniciaram há cerca de sete meses,  quando os integrantes do Gaeco descobriram suspeitos que estavam traficando drogas e armas em Uberaba e toda região. Inclusive um dos criminosos é recluso na Penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira em Uberaba e beneficiado com regime semiaberto, onde sai pela manhã da penitenciária, prática vários crimes e volta à noite para dormir.

Durante as investigações, os criminosos foram identificados e os representantes do Gaeco solicitaram à Justiça mandados de busca e apreensão e prisão contra os criminosos. Eles tiveram o pedido aceito e, na manhã de ontem, os policiais cumpriram 38 mandados de busca e apreensão e prisão na cidade de Delta, Prata, Patrocínio, Patos de Minas, Monte Carmelo, Uberlândia e Uberaba. Durante a operação, foram apreendidos veículos de luxo, armas de fogo e produtos anabolizantes proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Vários acusados foram presos e durante operações no bairro Alfredo Freire, os policiais abordaram um suspeito. Eles fizeram diligências, foram até uma residência e descobriram um “laboratório de refino de drogas” utilizado pelo jovem.  Ele também foi preso em flagrante e levado para a delegacia e apresentado ao delegado de plantão, que confirmou a prisão.  Já os outros presos da operação ação foram encaminhados para a delegacia das respectivas cidades e posteriormente encaminhados aos presídios, onde permanecem à disposição da Justiça. (JC)

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias