Mosaic
Futebol

Não é só a vaga direta que está em jogo para o São Paulo contra o Inter

Mas não é só a vaga que estará em jogo para o São Paulo.

04/12/2019 06h00
Por: Redação
Fernando Diniz e Raí no São Paulo: técnico e diretor colocam vaga direta na fase de grupos da Libertadores como objetivo - Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net
Fernando Diniz e Raí no São Paulo: técnico e diretor colocam vaga direta na fase de grupos da Libertadores como objetivo - Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

O ano de 2020 do São Paulo passa diretamente pelo jogo de hoje, contra o Internacional, às 21h30, no Morumbi, pela 37ª rodada do Brasileirão. Vencer significa carimbar uma vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores de 2020.

Mas não é só a vaga que estará em jogo para o São Paulo.

A definição do futuro do diretor executivo de futebol Raí também será influenciada pela classificação final do time no Brasileirão. Conseguir uma vaga direta na Libertadores pode contar pontos a favor do ídolo, que vê como uma obrigação atingir essa meta.

Nos bastidores, os grupos políticos da base aliada ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, pressionam por uma reestruturação no departamento de futebol e querem a saída de Raí. Existe a ideia de substituir o ídolo por um conselheiro não remunerado para liderar o futebol.

Nos bastidores, os grupos políticos da base aliada ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, pressionam por uma reestruturação no departamento de futebol e querem a saída de Raí. Existe a ideia de substituir o ídolo por um conselheiro não remunerado para liderar o futebol.

Os conselheiros aliados a Leco citam como argumentos contra Raí: a falta de resultados, os gastos com contratações que não vingaram (e contribuíram para o déficit financeiro do clube), e a não reestruturação no departamento de futebol pedida durante o primeiro semestre.

“Por enquanto o mais importante agora para 2020 é o São Paulo classificar para a fase de grupos. É quase uma obrigação depois da situação em que estamos, tendo a oportunidade nas nossas mãos. O foco é 100% nisso. Não pensamos em nada além disso agora”, disse Raí no último domingo, ao ser perguntado sobre seu futuro.

O contrato de Raí vale até dezembro e seu futuro é incerto. No clube há quem considere a sua saída iminente. Ainda assim, o dirigente confirma a ideia de manter Fernando Diniz para 2020.

O vínculo do técnico não tem prazo de validade nem multa rescisória. Parte da torcida critica o comandante e internamente também há a ideia de que o São Paulo precisa jogar mais do que está jogando.

“Nenhuma mudança. A ideia é essa, que ele (Fernando Diniz) permaneça (para 2020). O que acontece é que poderíamos ter já classificado para a fase de grupos. Obviamente que se isso não aconteceu não estamos satisfeitos, mas quem está mais insatisfeito é o próprio Fernando Diniz e o grupo. Tem que ser cobrado também os jogadores, tem de ser uma responsabilidade compartilhada entre todos nós. E tem um trabalho que está sendo bem feito, que obviamente ainda não tem a regularidade que gostaríamos que tivesse, mas acreditamos bastante na sequência do trabalho”, disse Raí.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias