Eventos

Coluna social

Fabiana Silbor

Fabiana Silbor

Fabiana SilborFabiana Silbor é Professora Universitária, radialista, apresentadora de televisão, jornalista, palestrante, gestora empresarial, articulista e pesquisadora nas áreas de ciências sociais e empresariais. Referência midiática, ela está no Jornal de Uberaba há nove anos, com uma página que promove conteúdo exclusivo, reflexões modernas, complexas e com doses cítricas. Fabiana Silbor foi repórter e apresentadora das Redes Integração, afiliada Globo, e Bandeirantes de Televisão.

15/12/2019 06h00
Por: Redação
Ana Tome e Marcos Oliveira
Ana Tome e Marcos Oliveira

Bem vindo!

Bem vinda.

 

Percepções

Queridos eu desejo a vocês um natal de amor. Que nessa pequena palavra de grandes dimensões contenham os presentes verdadeiros para uma vida feliz. Sejamos melhores, maiores e humanizados. Exerçamos o perdão realmente. Espero que na data magna, que lembra a força da esperança, tenhamos percepções sensíveis ao que, realmente, nos importa nessa vida e que nossos olhares sejam menos míopes e consigamos enxergar um futuro do qual sejamos construtores com nossas escolhas e atitudes. Feliz Natal!

 

Então é natal...

Essa semana foi uma loucura. Teve de tudo: de periguete bombando na rede com fantasia de natal, presos mandando mensagens pelo youtube desejando feliz natal para a polícia, gente roubando árvore de natal. Agora nessa odisseia de câmeras por todo o lado o que tem de história para contar dos flagras que as lentes registram...

 

Vamos celebrar de verdade 

Embalagens coloridas guardam produtos ora baratinhos, ora caros. Manipulados vamos presenteando de bens nossos queridos. Que tal ampliar o número de abraços, de sorrisos? Aumentar, bastante, a paciência e renutrir os estoques de alegria? Sejamos o presente nesse natal por meio das nossas coragens e posicionamentos.

 

Família, ah! Família! 

Que época feliz é essa, para receber a parentada. O sujeito se arranja pela sala, pela cozinha. Tem colchão esparramado para todo lado. Mas nada como a união. Dois grandes momentos de felicidade: um quando o povo chega e o outro quando vai embora.

 

Seja um jardim ou um semeador

Sonhos abalados são síndromes de desistência. Aproveite que é natal e motive. Invista em fazer renovar as ilusões. Esse colorido dá tom à vida real, que acontecerá de qualquer forma, quer você esteja ou não preparado para ela. Acredite mais nesse poder da doçura, da compaixão, da solidariedade. Tenha vergonha e princípios de gerar tanto desânimo por causa da sua frustração. Esvazie-se desses desalentos. Ânimo. Faça as pessoas brotarem.

 

Pet de natal

Muitos incidentes acontecem com as árvores de natal nas residências ondem moram animais de estimação. Cães e gatos, curiosos, sempre se interessam por aqueles enfeites brilhantes. E sobram histórias engraçadas dos bichos com as bolas, o bom velhinho e os piscas.

 

GPS doidão

Com a cidade lotada de visitantes a reclamação geral. É a loucura dos equipamentos de localização. Vindos de outras regiões para rever amigos e familiares, motoristas estão “perdidinhos da Silva”. Todo mundo redobrando a atenção para evitar acidentes, heim? O canteiro de obras, no qual se transformou o trânsito, promete dar muito o que falar antes da finalização. Será que fica bom?

 

Salgando o bolso

Movimento intenso no terminal rodoviário. Nessa época, mais que nas outras, o transporte mostra a cara e quem deixou para comprar passagens de última hora sofre com as dificuldades de atendimento, de lugares e de preços. Os bilhetes para as cidades próximas, às vezes, custam quase o mesmo preço do que é cobrado para andar longe... Tudo a ver com a questão do fluxo de passageiros. 

 

Contabilizando os lucros

Hoje e nos próximos dias, os varejistas esperam faturar muito para equilibrar os momentos de baixa vivenciados. Apesar das previsões dos economistas para o ano que vem, o povo está gastando o que tem e o que não tem para comemorar o fim de ano na mais alta voltagem capitalista. Claro que os eletrônicos lideram a lista de mais vendidos e nessa de redes, promovidas pelos equipamentos prediletos, o indivíduo está mais virtual e menos, bem menos, presencial. 

 

Lucro perigoso

Por que um pai ou uma mãe contrata um transporte escolar clandestino para levar o filho? Sinceramente, penso que a economia, que deve ser de poucas notas de 10 reais e que pode significar gravidades agigantadas na integridade emocional e física das crianças, não compensa. 

 

Pau de selfie

O tal do bastão para fazer autorretratos é um dos equipamentos mais procurados nesse natal. O extensor que ficou conhecido como “pau de selfie” serve para colocar o smartphone e fazer a foto a uma distância aproximada de um metro. A mania já fez o preço do produto subir e trouxe uma nova percepção para a fotografia ampliando o número de pessoas e trazendo elementos dos ambientes. 

 

Sem ar, sem água, sem controle

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais divulgou um levantamento que deu mais um título triste para Minas Gerais. Entre as 10 cidades que mais desmataram a Mata Atlântica no período compreendido entre 2012 e 2013, cinco são mineiras. É o quinto ano consecutivo que o estado ganha como líder de desmatamento. A nem...

 

Nem nessa época, credo!

Sempre louvável a iniciativa de ampliar o número de alimentos nas mesas para as pessoas que necessitam. Mas sem ingenuidade, os interesseiros poderiam pelos menos disfarçar o que querem nesse período. Essa troca absurda de tudo por poder é uma cilada. Precipício que nos conduz, como espécie, a sermos desprovidos de evolução. Pelo menos no natal o espírito de amor poderia acontecer de verdade...

 

Para pensar um pouquinho...

Se você fosse o Papai Noel qual o sonho realizaria? Mas estou escrevendo sobre o seu sonho? Vamos falar de você? Qual de todos os desejos você tornaria verdade? Será que é preciso, mesmo, esperar que alguém transforme nossas expectativas em realidade? Claro, que nem tudo que esperamos podemos construir sozinhos, mas estamos esperando as respostas e atitudes daqueles que, realmente, podem nos atender? Nessa avalanche de perguntas a certeza que depois de desmoronamentos feitos pelo tempo que passa ligeiro temos que levantar e seguir... Quem sabe se tornar seu próprio Papai Noel pode ser um presente para a eternidade?

  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários