Prefeitura- coronavírus
Mosaic
Coluna

Em questão

Prof. Décio Bragança

Prof. Décio Bragança

Prof. Décio BragançaGraduado em Letras pelas Faculdades Integradas Santo Tomás de Aquino (Uberaba, 1972). Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal de Santa Catarina (Uberaba, 1982. Especialista em Língua Portuguesa pelas Faculdades Integradas de Uberaba em convênio com a UNICAMP (Uberaba, 1987). Cronista de Rádio às quartas feiras e de Jornal quintas feiras, na cidade de Uberaba.

22/12/2019 06h00
Por: Redação
*Eu só peço a Deus – Que a criança não me seja indiferente – Nas praças, nas ruas e nas avenidas – Sem família e sem escola vive ao deus-dará
*Eu só peço a Deus – Que a criança não me seja indiferente – Nas praças, nas ruas e nas avenidas – Sem família e sem escola vive ao deus-dará

*Eu só peço a Deus – Que a dor não me seja indiferente – Que a morte não me encontre um dia – Solitário sem ter feito o que eu queria

 

*Eu só peço a Deus – Que a mágoa não me seja indiferente – Que o perdão nos ajude a crescer – Se vivermos olho por olho todos seremos cegos

 

*Eu só peço a Deus – Que a fome não me seja indiferente – Enquanto um tiver passando fome – Não nos é possível ser feliz sozinho 

 

*Eu só peço a Deus – Que a destruição não me seja indiferente – Nosso irmão sol e nos-sa irmã lua – Existem para todos e para cada um

 

*Eu só peço a Deus – Que a injustiça não me seja indiferente – Pois não posso dar a ou-tra face – Se já fui machucada brutalmente

 

*Eu só peço a Deus – Que a prisão não me seja indiferente – Pois ainda há inocentes presos – E culpados vivendo fartamente

 

*Eu só peço a Deus – Que a sede não me seja indiferente – Porque a falta de saneamento básico – Mata mais gente que o considerado razoável

 

*Eu só peço a Deus – Que a mulher não me seja indiferente – O ciúme e a ideia de posse são fortes – Mas produzem muitas e tantas mortes

 

*Eu só peço a Deus – Que a guerra não me seja indiferente – É um monstro grande e pi-sa forte – Toda fome e inocência dessa gente

 

*Eu só peço a Deus – Que o pobre negro não me seja indiferente – Algemado, aferrolha-do e escravo – Espera também a sua libertação

 

*Eu só peço a Deus – Que a tristeza não me seja indiferente – Pois a tristeza é sempre depressiva – A libertação e a salvação nos esperam

 

*Eu só peço a Deus – Que o índio não me seja indiferente – dono e filho da mãe terra – Expulso, espoliado, não tem onde ficar e morar

 

*Eu só peço a Deus – Que a mentira não me seja indiferente – Se um só traidor tem mais poder que um povo – Que este povo não esqueça facilmente

 

*Eu só peço a Deus – Que a ganância não me seja indiferente – Enquanto poucos têm muito – Muitos não têm quase nada para viver

 

*Eu só peço a Deus – Que a ignorância não me seja indiferente – A ciência e a sabedoria nos mostram caminhos – Os horizontes se abrem a todos e a cada um

 

*Eu só peço a Deus – Que o futuro não me seja indiferente – Sem ter que fugir desenga-nando – Para viver uma cultura diferente

 

*Eu só peço a Deus – Que o doente não me seja indiferente – Remédios caros e hospitais superlotados – Vive à espera da pior das mortes

 

*Eu só peço a Deus – Que o ódio não me seja indiferente – Radicalismos e fundamenta-lismos – Só nos maltratam e nos matam

 

*Eu só peço a Deus -  Que o Deus invisível se torne visível – Neste Natal e em todos os Natais – Só assim seremos irmãos.

 

*Eu só peço a Deus – Que a sua visibilidade no Outro – Possa nos fazer mais solidários e serenos – Formando uma grande fraternidade universal.