Banner prefeitura Covid
Saúde

Minas Gerais registra 56 notificações de dengue em 2020 e metade é de Uberaba

Estado vivenciou quatro grandes epidemias em 2010, 2013, 2016 e 2019, segundo boletim epidemiológico

09/01/2020 06h00Atualizado há 8 meses
Por: Redação
O mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue; população deve ficar alerta principalmente neste período chuvoso - Foto: Miguel Schincariol/AFP
O mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue; população deve ficar alerta principalmente neste período chuvoso - Foto: Miguel Schincariol/AFP

 

Maria das Graças Salvador

Em 2020, Minas Gerais registrou 56 casos prováveis de dengue até o momento, não havendo registro de casos graves. A informação consta no Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais nesta quarta-feira (8).

“Quanto aos óbitos, em 2019 foram confirmados 169 óbitos e 105 permanecem em investigação. Em 2020 não foram registrados óbitos”, aponta o boletim. Entretanto não foi registrada a suspeita de óbito por dengue da mulher de 27 anos, de Uberaba que morreu no último dia 4, deixando um filho de 7 anos. A Secretaria de Saúde intensifica o trabalho de bloqueio ao mosquito Aedes aegypti no Residencial Rio de Janeiro, bairro onde morava a mulher que foi a óbito. Exames dela foram enviados à Fundação Ezequiel Dias (Funed) para confirmar ou não o motivo da morte ou se é por outro agravo.

Minas Gerais vivenciou quatro grandes epidemias em 2010, 2013, 2016 e 2019, observa o documento, apontando que 2019 fechou com 483.614 casos prováveis (suspeitos e confirmados) de dengue, porém destaca que estes números são parciais, sujeitos a alteração.

Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados 2.811 casos prováveis de chikungunya em 2019. Desse total, 48 gestantes, sendo 12 com confirmação laboratorial. Em 2020, até o momento, apenas 01 caso provável foi notificado. O caso foi registrado em Belo Oriente. Em 2019, até o momento foi confirmado um óbito por chikungunya do município de Patos de Minas, e existe um óbito em investigação. Em 2020 até o momento não ocorreram óbitos.

Já em relação à Zika, foram registrados 698 casos prováveis de zika em 2019, sendo 164 em gestantes. Casos prováveis de zika em gestantes foram registrados em 56 municípios, destaca-se: Uberaba (21), Belo Horizonte (18), Ribeirão das Neves (16), São Francisco (13), Martinho Campos (7), Contagem, Araguari e Janaúba (06 cada) e Passos (quatro), os demais 47 municípios registraram 67 casos.  Em 2020, até o momento, não houve registro de casos prováveis.

Ainda segundo o boletim epidemiológico, em análises conjuntas das três doenças transmitidas pelo Aedes (dengue, chikungunya e zika) nas quatro últimas semanas (SE 49 a 52; 01/12/2019 a 28/12/2019), um município fechou 2019 com incidência muito alta, três municípios com alta incidência, 14 em média incidência, 240 em baixa e 595 sem casos prováveis. Na macrorregião Uberaba Sul, dois municípios fecharam com média incidência, Pirajuba e Veríssiomo.

Em 2019, segundo dados do Sistema de Informação dos Agravos de Notificação (Sinan), em 6 de janeiro, 3.014 casos foram classificados como dengue com sinais de alarme e 276 casos foram classificados como dengue grave.

O boletim, com dados acessados nesta segunda-feira (6), a macrorregião Triângulo Sul, liderada por Uberaba, terminou o ano de 2019 com 148 casos de dengue com sinais de alarme, sendo 53 casos de Uberaba, e 17 casos de dengue grave, sendo 5 de Uberaba. Nos 27 municípios da macro Uberaba, 2019 terminou com 7 óbitos confirmados – 2 óbitos em Frutal e Uberaba, cada município, e 1 em Carneirinho, Ibiá e Sacramento, cada – e 8 óbitos em investigação, sendo 2 de Frutal e de Uberaba, cada; 1 de Fronteira, Perdizes, Pirajuba e Veríssimo, cada.

O boletim divulgado nesta quarta, mostra, ainda, que em Uberaba já são 28 casos prováveis de dengue e um de chikungunya.

 

Outros agravos – Em relação à febre chikungunya, foram registrados 2.811 casos prováveis da doença em 2019, desse total, 48 gestantes, sendo 12 com confirmação laboratorial. Em 2020 até o momento apenas 1 caso provável foi notificado e este foi em não gestante no município de Belo Oriente. Entretanto, na análise das quatro últimas semanas, Uberaba tem um registro. Até 2015 todos os casos eram importados. Os primeiros casos autóctones de chikungunya ocorreram em 2016. O ano com maior número de casos prováveis de chikungunya foi 2017. Os casos estavam concentrados nas Unidades Regionais de Saúde (URSs) de Governador Valadares, Teófilo Otoni, Pedra Azul e Coronel Fabriciano. Em 2018, houveram casos prováveis de chikungunya localizados nas 13 macrorregiões, com maior concentração de casos na região Leste, onde está situado o Vale do Aço.

Em 2019, até o momento, foram processadas 8.296 amostras para chikungunya pelo Lacen de Minas Gerais. Foram realizados exames para pesquisa do vírus (métodos de isolamento viral e biologia molecular) e identificação de anticorpos (sorologia IgM). Deste total, 1.092 (13,1%) amostras apresentaram resultado positivo para chikungunya em 141 municípios, destaca-se Muriaé, Pirapora, Belo Horizonte, Juiz de Fora e Pirapetinga. Em 2020 já foram coletados até o momento 54 amostras e apenas 4 foram reagentes sendo 3 do município de Pirapora e 1 do município de Juiz de Fora.

 

Zika Vírus – Foram registrados 698 casos prováveis de zika em 2019, sendo 164 em gestantes. Casos prováveis de zika em gestantes foram registrados em 56 municípios, destaca-se Uberaba (21), Belo Horizonte (18), Ribeirão das Neves (16), São Francisco (13), Martinho Campos (7), Contagem, Araguari e Janaúba (06 cada) e Passos (quatro), os demais 47 municípios registraram 67 casos. Em 2020 até o momento não houve registro de casos prováveis. Em 2019 foram processadas para zika 5.309 amostras de 430 municípios de Minas Gerais. As metodologias utilizadas são biologia molecular para identificação do vírus e sorologia IgM e IgG para pesquisa de anticorpos. Até o momento, 68 amostras foram positivas na sorologia para zika. Em 2020 foram coletadas 8 amostras até o momento sendo apenas 1 positiva no município de São Geraldo do Baixo.

 

Retificação: O Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, no dia 8, mostra que neste ano Uberaba notificou 8 casos de dengue, não 28 casos prováveis como foi publicado. Os 28 casos são das quatro últimas semanas, ou seja, da primeira semana de janeiro e das três últimas de dezembro de 2019.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários