Coluna

Vinhos & tal

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

10/01/2020 06h00
Por: Redação

7 Tendências do Vinho Para 2020

Lendo um artigo do jornal “El Espanol”, onde a jornalista Laura S. Lara elencava 11 tendências para o vinho em 2020, me chamou a atenção o quanto que as gerações Y e Z, ou os “Millennials”, estão influindo no comportamento e abalando profundamente velhas e clássicas tradições. São jovens, que através dos recursos da internet, têm o mundo na palma da mão, cuja velocidade de comunicação, impõe cada vez mais, uma permanente troca de informações, em tempo real e em todos os recantos do planeta.

São ferramentas como Smartphones ultramodernos, com recursos de inteligência cada vez mais sofisticados; Redes Sociais, que transformam o conceito de mundo (literalmente) em uma aldeia global e ainda, os milhares de aplicativos, que fazem do ato de consumir, uma das mais excitantes experiências criadas pelo capitalismo moderno!

Claro que tudo isso, alterou e altera o modo de pensar a vida, onde novos valores relacionados à consciência ambiental, à saúde e ao lazer são profundamente afetados.  Assim sendo, o mundo do vinho não poderia ser diferente, onde as tendências indicam o caminho a ser seguido. Deste artigo, do “El Espanol”, separei 7 tendências que irão impactar o consumo de vinho neste ano de 2020, o qual transcrevo abaixo ao caro leitor (a). Uma boa leitura!   

 

1• Vinhos menos doce e menos álcool

Preocupados com a saúde e o bem-estar, os jovens desta geração, abrem mão cada vez mais, dos açucares e das bebidas com teores alcóolicos altos. E atentos ao mercado as indústrias vinícolas, tendem a intensificar em 2020, a produção de vinhos menos alcoólicos e menos doces. Uma vez que os gostos se voltam para sabores mais ácidos ou naturais (especialmente em branco e espumante), assim como a baixa a gradação alcoólica dos vinhos para valores entre 6 e 8,5º.

Regiões clássicas produtoras de vinho doce, como Tokaj ou Sauternes, estão pensando em produzir mais vinhos brancos secos. Os espumantes populares como o Prosecco, se esforçam para reduzir o açúcar com base na qualidade, passando do método charmat para o método tradicional.

 

2• Vinhos veganos

Vinhos naturais, vinhos orgânicos e biológicos já é uma tendência há anos, mas nesta nova década os vinhos veganos entram em cena. Ou seja, aqueles cuja produção, além de não ter utilizado produtos químicos na vinha ou na adega, não utilizou nenhum produto de origem animal ou técnica que envolva trabalhar com animais.

 

3- Roses provençais

O vinho rose já está na moda há algum tempo, portanto não é novidade. A novidade (ou tendência) é um vinho de estilo provençal (da Provença, a região do sudeste da França que faz fronteira com a Itália e o Mediterrâneo) cujo diferencial é o perfil mais elegante e sofisticado. É uma bebida que apresenta uma rosa sutil que parecem brancos, não apenas por sua cor pálida, mas por sua estrutura na boca. Uma categoria de vinho cada vez mais cuidada e valorizada, não apenas na França, mas em todo o mundo.

 

4- Vinhos 2.0

Trata-se dos chamados ‘vinhos cruzados’, cujas novas elaborações vão dos vinhos de cerveja, aos intensificados em barris de uísque ou vinhos com cannabis (maconha) da América do Norte, onde algumas áreas começaram a permitir o cultivo para fins terapêuticos.

 

5. Novos países produtores

Embora as áreas de produção tradicionais ainda sejam fortes, o surgimento de regiões que até agora não produziam vinhos, como é o caso da Inglaterra (que há menos de dez anos mal existia ou era muito ruim) ou da Europa Oriental, que nos últimos anos suas exportações aumentaram 400%. Neste caso, esta região tem se beneficiado pelas mudanças climáticas, e pelo aumento do investimento que resultaram em vinhos melhores e mais baratos.

 

6. Vinho em lata

A Austrália foi a precursora na produção de vinho em lata e que foi seguida, quase que concomitantemente, pelos Estados Unidos, onde a tendência de consumo é cada vez mais forte. Embora a garrafa de vidro ainda seja o sistema mais utilizado e continuará sendo nos próximos anos (com crescimento significativo de garrafas menores e de formato menor), outras embalagens alternativas, como Bag in Box e latas seguem tendência.

 

7. Etiquetas inteligentes

Neste ano de 2020, você também pode começar a ver a etiqueta inteligente, onde na garrafa terá um código QR para acessar rapidamente informações mais detalhadas sobre o produto, mas também com sistemas antirroubo e de ponto de verificação para evitar perdas e garantir a rastreabilidade da mercadoria. São rótulos interativos que, embora levantem dúvidas em alguns países, em outros representam um valor agregado para tranquilizar o consumidor sobre a autenticidade do produto.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários