Mosaic
Prefeitura- coronavírus
Coluna

Mulherio

Juba Maria

Juba Maria

Juba MariaJornalista formada pela UFRJ, mãe e poeta, trabalha como Assessora de Comunicação da Infraero. É uma das coordenadoras do projeto AMAi e dá palestras sobre Comunicação Não-Violenta.

12/01/2020 06h00
Por: Redação

Em Osasco, na Grande São Paulo, foi registrado mais um caso de feminicídio. Na última quinta-feira (9), um policial militar matou a esposa e logo depois cometeu suicídio. A arma usada no crime pertence à Polícia Militar.

 Está em tramitação na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 5.355/19, que concede isenção de IPI para carro comprado por mulher vítima de violência doméstica e familiar.

A iniciativa pretende alcançar mulheres que façam uso do automóvel no trabalho e seja formalizada como Microempreendedora Individual ou preste serviços, de maneira não eventual, por período superior a um ano, com remuneração mensal de até R$ 6.750,00.

Só que a proposta é de autoria do deputado federal Bosco Costa (PL/SE), que teve seu mandato cassado, em setembro, pelo Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE).

 O TRE investigou um volume de gastos abusivos com locação de veículos durante a campanha e fraudes na aplicação desses recursos públicos do fundo partidário, através de contratos simulados.

 O deputado apresentou gastos de R$ 485.350,00 com contratos de aluguel de carros na contabilidade da campanha eleitoral, valor destoante dos realizados com a mesma finalidade por outros candidatos eleitos para o cargo de deputado federal.

No último sábado (4), a Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) apresentou pedido de audiência à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) para debater a violência contra a mulher no Brasil.

No documento, assinado pelo presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, pelo presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da entidade, Hélio Leitão, e pelo advogado Carlos Nicodemos, membro da comissão, a OAB defende que no atual momento político, “em que garantias legais são amplamente questionadas em sociedade”, não pode afastar “o direito das mulheres à dignidade, à segurança, à integridade física-psicológica e, sobretudo, à vida”.

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região oferece serviço jurídico especializado no atendimento às vítimas, por meio do projeto “Basta: Não irão nos calar”.

 A iniciativa da entidade é pioneira e deveria ser replicada por sindicatos de Uberaba a fim de contribuir com o rompimento do círculo da violência e preservação da vida das mulheres.

 Por aqui, é lamentável a situação dos idosos. Em visita realizada pela startup Higgs a asilos, foi constatado um cenário gritante de abandono familiar e visitas raras ou escassas.

 Segundo a advogada Tatichele Cristina de Moura Rodrigues, é lamentável a quantidade de famílias que não se responsabilizam por seus idosos, porque trabalham e não tem tempo.

Ela lembra, no entanto, que tal dever também se encontra no Código Civil.  Em conversa com a coluna, Tatichele lembrou da famosa frase “O inferno são os outros”, do filósofo Jean-Paul Sartre (Paris,1905-1980).

Na avaliação de Tatichele, as pessoas se tornaram julgadoras nas redes sociais, acusando e destruindo a reputação dos outros, mas, na realidade, esse comportamento esconde uma grande hipocrisia, já que não fazem a sua parte, “não limpam o próprio lixo”.

Tomaram posse, na última sexta (10), os conselheiros tutelares eleitos em Uberaba. Entre elas, foram empossadas como suplentes para a gestão 2020-2024, as assistentes sociais Brenda Rodrigues e Paula Pires, eleitas em 12º (626 votos) e 19º (436 votos), respectivamente. A cerimônia ocorreu na sede do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. Uberaba nomeou dez conselheiros, distribuídos em dois conselhos.