Prefeitura - Carnaval
Cidade

Cervejas da Backer são recolhidas em supermercados de Uberaba

A interdição do produto durará o tempo necessário à realização de testes

16/01/2020 06h00
Por: Redação
Cervejas produzidas pela Backer são interditadas cautelarmente - Foto: Reprodução/TV Integração
Cervejas produzidas pela Backer são interditadas cautelarmente - Foto: Reprodução/TV Integração

Equipes de fiscalização da Fundação Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e da Vigilância Sanitária interditaram cautelarmente, em dois estabelecimentos de Uberaba, 455 unidades de diversos rótulos de cerveja fabricados pela empresa Backer, de Belo Horizonte.

A operação foi realizada na terça-feira (14) e é uma das medidas tomadas para garantir que a cerveja Belorizontina e outros produtos da cervejaria não sejam comercializados.

Conforme a Lei Federal 6.437/77, a interdição do produto, como medida cautelar, durará o tempo necessário a realização de testes, provas, análises ou outras providencias requeridas, não podendo, em qualquer caso, exceder o prazo de 90 dias.

Em um post publicado nas redes sociais, o presidente do Procon de Uberaba, Marcelo Venturoso, afirmou que, mesmo não havendo indícios de intoxicação em moradores, foi entregue um ofício à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para apresentar informações sobre a entrada de pacientes na rede hospitalar do município com sintomas da síndrome nefroneural.

“Estou consternado com os resultados da contaminação. Em nome de todo o time do Procon Uberaba, me solidarizo com a família das vítimas do acidente de consumo e reforço a disponibilidade de todos os canais de atendimento e orientação do Procon Uberaba”, disse Venturoso na publicação.

Quem tiver em casa qualquer cerveja fabricada pela Backer, a orientação do Procon é que verifique o lote e, em caso de dúvidas, entrar em contato com o Procon ou com a Vigilância Sanitária.

Segundo boletim com atualização da investigação dos casos de intoxicação exógena por Dietilenoglicol, divulgado no final da tarde de ontem pela Secretaria de Estado da Saúde, até ontem foram notificados 17 casos suspeitos de intoxicação exógena por Dietilenoglicol.  Desses, 16 pessoas são do sexo masculino e uma do feminino. Quatro casos foram confirmados e os 13 restantes continuam sob investigação, uma vez que apresentaram sinais e sintomas com relato de exposição. 

Dois casos evoluíram para óbito. Um desses óbitos está entre os quatro casos em que foi confirmada a presença da substância dietilenoglicol no sangue. Conforme informações da Polícia Civil, trata-se de um homem, que esteve internado em hospital de Juiz de Fora e foi sepultado em Ubá.

Já o outro caso de óbito está entre os 13 que estão em investigação. Trata-se de um homem que faleceu ontem (15), em Belo Horizonte, que estava entre os casos suspeitos e a confirmação sobre a causa da morte só será possível após a conclusão do laudo. Ainda segundo o boletim, a distribuição geográfica dos 17 casos notificados, segundo município de residência, é 12 casos em Belo Horizonte e os demais 5 casos contabilizam registros em Ubá, Viçosa, São Lourenço, Nova Lima e São João Del Rei.

Vale lembrar que existe uma terceira morte com suspeita que ainda resta ser confirmada. Trata-se de uma mulher com sintomas da síndrome nefroneural em Pompéu, região Centro-Oeste de Minas Gerais. Este caso não constava no último balanço oficial da SES/MG, mas a Secretaria Municipal de Pompéu informou ter notificado a pasta estadual.

“Com base nos resultados da análise pericial realizada pela Polícia Civil, a Vigilância Sanitária Estadual determinou a interdição cautelar dos lotes L1 1348 e L2 1348 da cerveja Backer Belorizontina. A interdição nacional dos mesmos lotes foi determinada pela Anvisa. A Secretaria de Estado de Saúde continuará a investigação epidemiológica e clínico-laboratorial dos casos, incluindo a emissão de notas técnicas para orientação aos serviços e profissionais de saúde, e divulgação periódica de informações atualizadas à população.”

 

Histórico – Em 30 de dezembro de 2019, a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMSA/BH) e a SES/MG foram notificadas da ocorrência de um caso de paciente com insuficiência renal aguda e alterações neurológicas de etiologia a esclarecer, internado em hospital da rede privada de saúde do município de Belo Horizonte. Em 31 de dezembro, foi notificado um segundo caso com a mesma sintomatologia, internado em hospital filantrópico do município de Juiz de Fora.

Diante dos eventos notificados, exames laboratoriais foram solicitados e realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), para pesquisa de doenças transmissíveis, sendo excluídas após análise: arboviroses, febres hemorrágicas (febre amarela, hantavirose, leptospirose e riquetisioses), infecções bacterianas e fúngicas sistêmicas, doenças neuroinvasivas, sarampo, hepatites virais, doença de Chagas, HIV, tuberculose, meningites e encefalites. Complementarmente às análises realizadas pela Funed, a Superintendência de Polícia Técnica-Científica da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) tem realizado análises toxicológicas de amostras biológicas dos pacientes e produtos recolhidos pelas vigilâncias sanitárias municipal e estadual.

As investigações iniciais realizadas pelas equipes da SES/MG, SMSA/BH e Ministério da Saúde (MS) indicaram que os pacientes notificados apresentaram os primeiros sintomas após ingerirem a cerveja “Belorizontina” da marca Backer. Os sintomas clínicos dos pacientes levantaram a hipótese de intoxicação exógena por Dietilenoglicol (DEG).

A SES-MG informa que devem ser imediatamente notificados (em até 24 horas) ao CIEVS BH (casos de Belo Horizonte) e CIEVS Minas (casos do restante do estado), pelo telefone e por e-mail, os casos de indivíduos que ingeriram cerveja da marca “Backer” a partir de primeiro de novembro de 2019 e iniciaram em até 72 horas com sintomas gastrointestinais (náusea e/ou vômito e/ ou dor abdominal) associados à insuficiência renal aguda grave de evolução rápida, seguida ou não de uma ou mais alterações neurológicas: paralisia facial, borramento visual, amaurose, alteração de sensório e paralisia descendente.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias