Prefeitura - Carnaval
Coluna

Vinhos & tal

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

17/01/2020 06h00
Por: Redação

 

Blaufränkisch

Na semana que passou falei sobre as tendências do vinho para 2020 e me certifiquei, mais uma vez, que o VINHO é um tema, que além de despertar muitas paixões, ele é um ativo econômico e financeiro que movimenta bilhões e gera milhões de empregos em sua cadeia no mundo todo. Ou seja: tem uma importância social e econômica sem limites! Já disse por aqui também, que são mais de 10 mil variedades existentes de uvas, sendo que, específicas para vinhos, ultrapassam a casa das cinco mil castas. Isso significa que sempre teremos, a oportunidade de discorrer sobre este assunto, sem cansar o dileto leitor amante do vinho. Aliás, já percebi que o leitor é muito curioso e ávido por conhecer este mundo, especialmente, as diferentes castas existentes. Assim sendo, segue na coluna de hoje mais uma uva pouco conhecida, mas muito importante na Áustria, país que tradicionalmente, produz excelentes vinhos brancos, mas que também sabe fazer com maestria bons vinhos tintos!  Vamos falar da Blaufrankischen!

Uma boa leitura a todos e bom final de semana!

 

Origem

De nome Blaufränkisch esta é uma variedade tinta que é própria da Europa central, mais precisamente da Áustria. Ela é o resultado de um cruzamento entre as variedades Blauer Zimmettraube e Weißer Heunisch. Ela é a segunda uva mais popular das variedades para vinhos tintos, ficando atrás apenas da Zweigelt (que é resultado do cruzamento da Blaufränkisch com outra variedade tinta da Áustria, Saint- Laurent). A Blaufrankisch se originou dentro do que era o império austro-húngaro, onde ainda hoje prevalece. O sufixo –fränkisch data do início da Idade Média e foi usado em países onde se falava alemão para designar uma família de uvas para vinho considerada superior, promulgada por Carlos Magno, rei dos francos.

Foi em 1862 que o nome Blaufränkisch apareceu pela primeira vez, em uma exposição em Viena. Em 1877, a uva apareceu na Alemanha sob o nome Lemberger e, 13 anos depois, na Hungria, como Kékfrankos, a tradução literal de Blaufränkisch.

 

Onde cultiva 

A Blaufränkisch, é encontrada nas regiões vitícolas do norte, centro e sul de Burgenland, bem como no leste de Niederösterreich, na Áustria. Mas também pode ser encontrada na Hungria, e em menor quantidade na Alemanha, Eslováquia, Bulgária e Croácia, EUA, Austrália e Canadá.

 

Características 

Esta variedade tem o seu melhor desempenho em climas continentais frios, onde faz com que o vinho perfumado seja uma reminiscência de Syrah, Cabernet Franc ou Pinot Noir. Ela tem folhas grandes, cachos, também grandes e moderadamente compactos, os bagos são de cor que oscilam de preto azulado à totalmente preto e tem amadurecimento tardio. É uma uva altamente exigente em seu local de vinha, suscetível à Coulure, que é uma reação metabólica causada pelas condições climáticas (frio, umidade e chuva), que causa uma falha no desenvolvimento das uvas no período da floração.

 

Vinho

Os vinhos com esta casta, na juventude têm uma cor escura, violeta-violeta e um bouquet característico, picante e muito frutado de frutos silvestres. Eles mostram estrutura e caráter e se tornam mais complexos e suaves através de um armazenamento cuidadoso. O DAC (Denominação de Origem) de Mittelburgenland, a mais importanre do país, é dividido em três categorias:

1) sob o nome “ Mittelburgenland DAC “(Denominação de Origem), você encontrará um Blaufränkisch com sabor frutado e picante, envelhecido em um grande barril de madeira tradicional e / ou em um tanque de aço.

2) Com uma designação de vinha, é identificado um estilo Blaufränkisch mais forte, que também pode ser expandido em barricas usadas.

3) Com “ Reserve “, os Blaufränkisch mais ricos são marcados com um álcool mínimo de 13%. Estes vinhos também podem ser envelhecidos em novos pequenos barris de madeira.

 

Outros nomes

Além de Lemberger e Kékfrancos, esta casta é conhecida também por Franconia ou Frankonia (norte da Itália), Frankovka (Croácia, República Tcheca, Sérvia), Gamé (Bulgária), Burgund Mare (Romênia), Frankovka Modrá (Eslováquia) e Modra Frankinja (Eslovênia).

 

Harmonização

Como bem lembra a fundadora e editora do site Wine Folly, Madeline Puckette, “ basta olhar para as regiões onde está uva floresce”, para encontrar excelentes combinações que vão desde  linguiça defumada, goulash de batata vermelha , bolinhos de queijo spaetzle, Pato e  Cordeiro, entre outros.

 

Dica de Vinho

Moric Blaufrankisch Burgenland 2015

Produtor: Moric

País: Áustria

Região: Burgenland

Uva: 100% Blaufrankisch

Álcool: 13%

Guarda: 5-10 anos