Eventos

Coluna social

Fabiana Silbor

Fabiana Silbor

Fabiana SilborFabiana Silbor é Professora Universitária, radialista, apresentadora de televisão, jornalista, palestrante, gestora empresarial, articulista e pesquisadora nas áreas de ciências sociais e empresariais. Referência midiática, ela está no Jornal de Uberaba há nove anos, com uma página que promove conteúdo exclusivo, reflexões modernas, complexas e com doses cítricas. Fabiana Silbor foi repórter e apresentadora das Redes Integração, afiliada Globo, e Bandeirantes de Televisão.

19/01/2020 06h00
Por: Redação
Nessa imensidão de incertezas borboletas anunciam a solução. Mudar é o único estado natural na busca da evolução. Evitar o crescimento é apodrecer em solidão. Aceite a condição de mutação.
Nessa imensidão de incertezas borboletas anunciam a solução. Mudar é o único estado natural na busca da evolução. Evitar o crescimento é apodrecer em solidão. Aceite a condição de mutação.

Bem vindo!

Bem vinda!

Tenha consideração nesse domingo. Tenha gratidão e respeito. Preste atenção no que o outro diz e sente. Leve isso em consideração. A evolução passa por caminhos nos quais superamos nossas inseguranças e paramos de nutrir nossas decisões com base em sentimentos menores. É preciso coragem para desenvolver ternura e afeto na atitude.

 

Que sejamos bons presentes

Embalagens coloridas guardam produtos ora baratinhos, ora caros. Manipulados vamos presenteando de bens nossos queridos. Que tal ampliar, também, o número de abraços, o de sorrisos? Aumentar bastante a paciência e renutrir os estoques de alegria. Sejamos o presente na vida, por meio das nossas coragens e posicionamentos.

 

Domingo é um dia bonito, é bom.

Esse preconceito contra a data é bobagem.

Deixa rolar o que há de consideração.

Porque coisas do coração ninguém mete a mão.

É importante reconhecer que cada um tem sua própria explicação.

No que se vive isolado, entendimento consumado, sempre haverá contestação.

E o carinho segue o mapa da intenção.

 

Por dias de menos faz de conta

Sejamos melhores, maiores, humanizados. Exerçamos o perdão realmente. Vamos celebrar a força da esperança, tenhamos percepções sensíveis ao que, realmente, nos importa nessa vida.  Que nossos olhares sejam menos míopes e consigamos enxergar um futuro do qual sejamos construtores, com nossas escolhas e atitudes de hoje.

 

Cuide mais da sua vida

Faça um ‘mapa’ para seguir no caminho para seus desejos. Coloque datas para chegar a cada etapa. Assim você poderá avaliar quais serão os obstáculos que deverá enfrentar para conseguir o que quer. Saberá, também, se é capaz de superar os desafios, reconhecerá suas fraquezas e perceberá seus pontos fortes. O “GPS” da vida merece boas conexões.

 

Queira bem

A única e a verdadeira razão por qualquer mudança é o querer. E a distância entre o querer na teoria e na prática é a atitude. O que garante o sucesso da decisão é a continuidade da escolha. O que faz esse caminho? Boas doses de disciplina, resiliência e aceitação. Três condimentos raros, difíceis, mas disponíveis em doses ilimitadas para todos.

 

2020 chegou, mas não desembarcou

Só parece se incomodar com o fim de janeiro quem teve férias. A maioria quer mesmo é que fevereiro chegue. O ano que acabou, mas, ainda, tão presente, foi turbulento, marrento, desafiante. Todo torto, anjo avesso, de guerrilhas intestinas, manhoso, real. Um tempo de tudo ou nada. Acovardado, alforriado que pensava que a liberdade era um eterno se vingar. Meses açoitados pelos temores de uma humanidade frágil, abrigada num caminhão de mudanças. Nem no passado, nem no futuro. Sem presente para delegar. Que sabe tudo, mas não entende nada. Que conhece o antes e vê o depois, mas fica de birra na encruzilhada. 

 

Filosofia dos antepassados: por fora bela viola, por dentro pão bolorento

O que está por fora nem sempre mostra o que está por dentro. Essa nossa reputação de viver de ilusão nem sempre é resposta para um tempo que vive na contramão. Sem datas de validade somos mais responsáveis pelos nossos acertos e considerações. Que tal menos julgamento, mais atitude, menos interesse no falso e mais olhares para as próprias evoluções?

 

Inovando na evolução

Lembrar do que alguém nos fez de ruim é uma forma de aprender, para evitar que aconteça novamente. O problema é que andamos viciados nessa limitação de reprisar o passado.

O pensador francês La Rochefoucauld afirmou que nos lembramos com uma nitidez incrível de quem nos fez mal, mas quase nunca nos recordamos de quem nos fez bem. Essa ‘deficiência’ nos impede de ser genuínos na gratidão. Agradecer, até que a gente agradece, mas parece mais um ritual de obrigação, do que um sentimento de real consideração. 

 

Repetitiva questão: ser ou ter?

Apesar das incompreensões e dos opositores, devemos seguir confiantes no plantio do bem. Somos mais nossas colheitas do que as opiniões alheias. Sem hipocrisia merecemos ter um tempo de mais considerações, respeito, segurança e amor. Essa construção começa dentro. Nesse jardim que brota em nossos corações. E, nascem novas sementes para continuar na seara de uma vida digna e justa. Espero que gostem dessa ideia e que juntos formemos uma corrente em favor da felicidade que parece tão fácil hoje em dia, quando na verdade, está cada dia mais longe nesse universo de ter. Acreditem: muito do que merecemos para ser feliz está diretamente ligado ao que somos.

 

Vamos agradecer? 

Na vida temos muitas pessoas importantes. De alguma forma elas contribuíram para que você tivesse os conhecimentos e as oportunidades que hoje desfruta. Procure lembrar-se de alguém que fez, falou ou lhe oportunizou questões que fizeram a diferença. Seja honesto e reconheça, de fato, os que merecem. Até mesmo as indiferenças e as broncas nos favorecem. Às vezes, até mais, que as pequenas fortunas de bondosos na nossa existência. Então, durante essa semana, ligue para a pessoa, envie flores ou vá pessoalmente e agradeça. Simplesmente diga: obrigado pelo que você fez por mim. Graças a sua atitude hoje sou uma pessoa melhor.

 

Saudação do ano novo

2020 agradecemos por chegar. Por estarmos aqui para partilhar.

Pedimos, com humildade, que seja um tempo de merecer.

Onde a justiça seja forte e a saúde, ainda, mais. 

De dias feitos de alegrias, oportunidades e pessoas do bem.

Ano Novo que se apresenta...

Quando dezembro chegar permita nossa admiração. Sobretudo, por nós mesmos.

Que então, sejamos construção.

Ah, 2020! Gratidão.

 

Feliz dia! Feliz tudo. Fabiana Silbor.

  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários