Prefeitura - Carnaval
Entrevista

As chuvas ainda afetam o Memorial e a resolução virá com reforma, diz museólogo

Vitor Silveira fala sobre o projeto de revitalização do espaço e da aprovação pelo governo federal para a captação de R$ 3 milhões

26/01/2020 06h00
Por: Redação
Coordenador do Memorial Chico Xavier, Carlos Vitor afirma que as ações irão estabelecer o espaço como um local privilegiado para educação em valores a partir do legado deixado pela figura histórica de Chico Xavier - Foto: Divulgação
Coordenador do Memorial Chico Xavier, Carlos Vitor afirma que as ações irão estabelecer o espaço como um local privilegiado para educação em valores a partir do legado deixado pela figura histórica de Chico Xavier - Foto: Divulgação

 

Maria das Graças Salvador

O coordenador do Memorial Chico Xavier, o museólogo Carlos Vitor Silveira fala sobre o projeto de Revitalização do espaço, da aprovação pelo governo federal para a captação de R$ 3 milhões, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O projeto é inédito em Uberaba e prevê um novo Memorial Chico Xavier, que atenderá com dinamismo e excelência aos moldes dos museus contemporâneos. Quando completamente implementado, Uberaba passa a ser o portal de uma rota estadual que abranja os itinerários de Chico Xavier em Minas Gerais. O coordenador fala como o cidadão pode participar do projeto de captação, da reforma do Memorial e que o intuito das ações que estão sendo realizadas é trazer para Uberaba uma linguagem de museu contemporânea que só vemos nas principais capitais do país.

 

JORNAL DE UBERABA – O governo federal autorizou a captação de R$ 3 milhões para o projeto de Revitalização do Memorial Chico Xavier. O que isso significa na prática?

Carlos Vitor Silveira – Após a proposta ser aprovada pela Secretaria Especial da Cultura, ela adquiriu o status de Projeto Cultural, com um número identificador publicado no Diário Oficial da União. Na prática, após essa chancela, o projeto está autorizado a captar recursos junto a apoiadores (pessoas físicas e empresas) por meio do abatimento no imposto de renda devido, mecanismo conhecido como Lei Federal de Incentivo à Cultura. O governo abre mão do imposto (renúncia fiscal) para que ele seja aplicado diretamente nas atividades culturais. Com isso, ganham o setor cultural, o apoiador que patrocina com sua marca associada ao projeto e os cidadãos, com mais opções de acesso à cultura.

 

JU – Como será realizada a captação deste dinheiro?

Carlos Vitor – Agora daremos início ao processo de sensibilização junto a potenciais patrocinadores. Inicialmente pretendemos priorizar empresas instaladas em Uberaba para oportunizar a associação de marcas locais junto ao projeto. A aprovação pelo Governo Federal confirma o elevado interesse do Memorial Chico Xavier para o país. Estamos falando de um projeto de dimensão nacional com extremo impacto no desenvolvimento econômico, cultural e social que se torna mais emblemático no ano do bicentenário de Uberaba. Nesse sentido, dada a sua importante temática, nível de excelência e qualificação dos profissionais envolvidos, acreditamos que não teremos grandes dificuldades para sua execução.

 

JU – A empresa Expomus que fará esta captação?

Carlos Vitor - A captação será um esforço conjunto entre a empresa e a Prefeitura de Uberaba, que já está trabalhando muito para sua efetivação. Nas próximas semanas reuniremos para definir toda sua abrangência. 

 

JU – O projeto foi iniciado no ano passado e tem várias fases. Como está o andamento do projeto?

Carlos Vitor – Estamos agora na quarta de um total de cinco etapas. A primeira foi a análise de viabilidade, a segunda foi a inscrição da proposta na Lei de Incentivo, a terceira sua aprovação. Agora estamos na fase captação dos recursos e a quinta e última etapa será a execução do projeto.

 

JU – Você pode detalhar um pouco mais do projeto?

Carlos Vitor – O projeto visa estruturar o Memorial com exposições interativas, acessíveis, com riqueza de conteúdo e imersão, além da modernização de todo o equipamento. O intuito é trazer para Uberaba uma linguagem de museu contemporânea que só vemos nas principais capitais do país. Não estamos mais falando daquele museu ultrapassado, estático e contemplativo, mas sim de um espaço dinâmico onde o visitante fará parte de toda narrativa. 

Mudaremos também a abordagem conceitual. A partir de agora nossas ações irão estabelecer o espaço como um local privilegiado para educação em valores a partir do legado deixado pela figura histórica de Chico Xavier. Serão abordados nas exposições e atuação do Memorial os valores universais de amor, respeito, tolerância, diálogo, empatia e solidariedade, cultivados e semeados por Chico Xavier.

 

JU – Você disse que com este projeto de revitalização o Memorial irá atingir o maior patamar desde sua idealização e que este é o maior investimento em cultura da história de Uberaba?

Carlos Vitor – Este será o maior investimento cultural de Uberaba propiciado por meio da Lei de Federal de Incentivo à Cultura. Esperamos que com esse projeto o Memorial se estabeleça como um espaço cultural e turístico com efetiva inserção comunitária e que fomente o desenvolvimento cultural, social e econômico de Uberaba. 

Desde sua abertura em 2016 nós já recebemos cerca de 40 mil visitantes. Com essa revitalização, a expectativa é que o Memorial atenda 100 mil pessoas ao ano. Isso representará um aumento de cerca de mil por cento referente ao que recebemos anualmente.

 

JU – A reforma predial do Memorial Chico Xavier é outra coisa ou está ligado a este projeto? Atualmente, como está o Memorial? Estas chuvas têm afetado o espaço ou foi solucionado?

Carlos Vitor – São projetos distintos, porém interdependentes. A reforma é necessária para que o prédio do Memorial possa funcionar adequadamente seja como está agora e principalmente a partir da sua revitalização. As chuvas ainda afetam o Memorial e a resolução definitiva do problema virá a partir dessa reforma. 

 

JU – A licitação da reforma estava prevista para o dia 14 de janeiro. A licitação aconteceu, quem foi o vencedor?

Carlos Vitor – A Licitação ocorreu, porém as empresas interessadas foram inabilitadas por não cumprirem as exigências do Edital. Outra licitação será marcada ainda neste mês. A perspectiva é que as reformas se iniciem a partir de fevereiro. 

 

JU – Você não acha que Uberaba ainda não reconheceu a importância do Memorial Chico Xavier? 

Carlos Vitor – Uberaba sempre sonhou com o Memorial. Mas não posso negar que o projeto ficou muito desacreditado nos últimos anos devido à demora da obra, falta de compreensão técnica e controversas nas gestões anteriores. Atualmente, o espaço adquiriu uma nova identidade e gradativamente foi estabelecendo seu potencial. Apesar das dificuldades, o Memorial tem tido uma excelente avaliação dos visitantes e agora com essa revitalização o espaço confirma seu elevado interesse social. Finalmente teremos um Memorial que encherá de orgulho o coração do uberabense.

 

JU – Você quer fazer mais alguma colocação?

Carlos Vitor – Gostaria de convidar a comunidade de Uberaba a integrar todo esse processo de consolidação do Memorial Chico Xavier. O Memorial sempre foi um anseio de todos e estamos próximos a concretizar um espaço à altura de Uberaba e da Memória linda de Chico Xavier. Todos poderão contribuir para que o projeto se efetive, de nossa parte não estamos medindo esforços. Esse é um projeto de Cidade.