Mosaic
Prefeitura- coronavírus
Coluna

Cultura

Luiz Hozumi

Luiz Hozumi

Luiz HozumiProdutor cultural, publicitário, especialista em gestão e políticas culturais. [email protected]

30/01/2020 06h00
Por: Redação

DESEJOS E NECESSIDADES

Alinhar desejos e necessidades nem sempre é fácil, por vezes é tão complicado que fugimos das duas coisas. E acredito que seja o caso da administração pública de Uberaba nos últimos tempos em relação à cultura. Réveillon, Carnaval e Aniversário da cidade, comemorando seus 200 anos, foram anunciados. O primeiro evento teve tanto data, quanto horário e local trocados, e o motivo foi a grande insatisfação da população. Aconteceu sem alcançar o objetivo proposto de qualquer festa da virada, ou seja, não virou o ano, foi postergada ao dia primeiro à tarde, quando todos já haviam celebrado o início, não tão marcante assim, do ano do bicentenário da cidade. Na falta de uma festa oficial, um evento foi organizado na rua de um bairro pela própria população tendo registrado a participação de mais de duas mil pessoas, infelizmente sem nenhuma estrutura e nem segurança.

Falta de organização ou planejamento podem ser desculpas informais da Prefeitura Municipal e da Fundação Cultural, órgão responsável pelos eventos oficiais da cidade, mas acredito mesmo na falta de engajamento da população com as ações nitidamente eleitoreiras. Coincidentemente em 2020 também teremos eleições municipais e o atual prefeito não pode mais se reeleger.  O carnaval recém-anunciado terá investimento público, divulgado pela própria prefeitura, de aproximadamente 250 mil reais com shows de Jorge Aragão e Tchakabum. Está marcado para o mesmo local onde o Réveillon foi cancelado, a Praça da Mogiana. O local historicamente tem seus finais de semana conturbados, com os vários bares do entorno da praça e com pouco policiamento ostensivo a região fica repleta da desordem provocada por aqueles que ao invés de se divertirem causam pânico e incômodo aos demais. Esta é uma das grandes preocupações dos moradores vizinhos a Praça, que a insegurança semanal seja multiplicada nos dias de folia. Depredação de patrimônio, pequenos furtos as residências, uso de drogas ilícitas e até mesmo necessidades fisiológicas em calçadas, já que a estrutura pública de banheiros é inexistente no local.

A insegurança é tamanha que um abaixo assinado tem corrido as redes para impedir a realização do Carnaval no local, mais um evento que poderá ser trocado. Creio que seja bem mais difícil adiar o Carnaval. As críticas ainda pairam sobre o investimento público, que poderia de alguma outra forma ser destinado a áreas mais urgentes. Apesar de não concordar com as prioridades que a comunidade elenca e defender a importância do Carnaval e de seus investimentos, é fácil entender a revolta da população quando vemos os hospitais lotados e também mal geridos. Não há nenhum estudo por parte do poder público sobre o retorno deste investimento feito no Carnaval da cidade, tanto de forma financeira, quanto de forma social fomentando a qualidade de vida do uberabense. Por fim, não há transparência para publicar de onde vem à verba e nem como será gasta, muito menos uma explicação viável de que o evento que não foi realizado em anos anteriores está sendo realizado em ano de eleições. Outro orçamento, ainda maior que a da festa de Momo é a comemoração dos 200 anos da cidade, com investimentos previstos em 700 mil reais serão realizados shows de Chitãozinho e Xororó, Leonardo, Jota Quest e Projeto ao Cubo.

O governo municipal disse que a festa será patrocinada pela iniciativa privada, porém ainda não divulgou os patrocinadores, nem qual percentual de investimento público, transparência não é mesmo o forte da administração. A festa planejada para acontecer no estádio Uberabão também tem gerado críticas da população. Engajar a comunidade a participação da vida cultural é complexo e não pode ser sanado com shows musicais pontuais, além de desvalorizar outras manifestações culturais como teatro, circo, dança, artes plásticas, também não colabora ou colabora minimamente para democratização do acesso e do fomento as artes na cidade. Ainda caracteriza uma política de pão e circo, só que sem pão e nenhum circo, talvez só muita água e música, como manda a tradição uberabense. Apostar nas políticas públicas é um dever e não poderia de forma alguma ser uma opção a cada quatro anos, ou pior, a cada duzentos. Espero que a Prefeitura Municipal e a Fundação Cultural respondam com transparência aos questionamentos feitos e espero mais, que possam pensar a cultura como agente transformador de vidas e não de votos. Alinhar desejos e necessidades nem sempre é fácil, mas para quem representa o povo é um dever diário. Que não fujam nem de uma coisa e nem de outra, pois nem tudo é só festa, pão ou circo. 

 

ARTE + CAFÉ

O Núcleo Contemporâneo das Artes Nu.C.A realiza neste sábado, dia 01 de Fevereiro exposição de desenhos e pinturas do artista plástico Edson Fernandes. Ainda a performance ‘’Árvore’’ com os artistas Clayton Fernandes, Edson Fernandes, Mayron Engel e Rafhael Fonseca. O evento acontece no Jenipapo Café que fica na rua Rodolfo Machado Borges, 26, nos fundos do Teatro Vera Cruz, das 15h às 19h.  O evento tem parceria e apoio do Arte Movimento Studio de dança e produção de Cecília Leite. A entrada é gratuita.

 

GAROTADA DO BARULHO 2

A True Escola e Produtora de Arte faz exibição da segunda temporada da série Garotada do Barulho, produzida na cidade pelos alunos da escola. O evento é no Teatro Sesiminas, Praça Frei Eugênio 231, bairro São Benedito e acontece no domingo, dia 02 de Fevereiro às 18h. A entrada tem valor promocional de dez reais.

 

BLACK PANTERA PELO MUNDO 

Após exibição de matéria especial na RedeTV na últiam terça, dia 28 de Janeiro no programa Trace Brasil, a banda uberabense Black Pantera se prepara para mais uma turnê internacional. O trio viaja para Portugal em Março para participar do MIL - Lisbon International Music Network, uma das maiores convenções de música do país europeu. O Black Pantera tem representado Uberaba por todos os cantos do mundo com seu rock de protesto intenso, político e atemporal. Agora só falta a valorização na terrinha, é necessário vermos mais e mais apoio a banda em Uberaba.

 

Agenda da Fundação Cultural de Uberaba | Festas de Folias de Reis 

 

01º/02 | Companhia de Reis Evaristo Torquato

Sítio Bela Vista, estrada Uberaba/Palestina - 9km da CEFET | 15h

 

01º/02 | Companhia de Reis Divina Estrela

Salão de Festa da Igreja Divino Pai Eterno - Rua Iguatama, 600, Vila São Vicente | 15h

 

01º/02 | Companhia de Reis do Marcelino

Paróquia Santo Antônio de Santana Galvão – Av. Benedita Fontoura Rosa, Beija-Flor II | 17h

 

01º/02 | Companhia de Reis Nossa Senhora da Guia

Salão dos Reformados - Praça Magalhães Pinto, 606, Fabrício | 16h

 

01º/02 | Companhia de Reis Quinta da Boa Esperança

Salão de Festa do Frei Eugênio - Rua Sebastião Dutra, Conj. Frei Eugênio | 18h

 

Comunicação FCU

Companhia de Reis Nossa Senhora da Guia no cortejo realizado no ano passado.