Coluna

Vinhos & tal

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

31/01/2020 06h00
Por: Redação

 

VINHO LARANJA

Outro dia um leitor me perguntou se eu conhecia um vinho de cor laranja e se o mesmo era feito do fruto laranja. Disse que conhecia o vinho, mas que o mesmo não era feito a partir da laranja, somente a cor lembrava este saboroso fruto cítrico, muito comum na mesa dos brasileiros. A partir desta pergunta me ocorreu que ainda não tinha falado por aqui desta variedade de vinho, que não se trata de exotismo e nem invenção dos novos enólogos, mas um tipo de vinho que existe à milênios e vem carregado de muita história. Por isso hoje, quero discorrer um pouco sobre este tema que tem suas origens no leste europeu, mais precisamente na Georgia. Vamos lá conhecer este vinho e uma boa leitura a todos!

 

Origem

Os vinhos “laranjas”, que temos hoje, seguem modelos antigos cujos berços são a Geórgia (no Cáucaso) um país montanhoso do leste europeu e que produz vinhos há milênios. Fragmentos de cerâmica decorados com padrões de uva e contendo vestígios químicos de vinho encontrados perto de Tbilisi datam de 8.000 anos. Mas o registro do vinho âmbar, é de 6.000 anos. O nome laranja é uma invenção de um importador inglês, que deu este nome nos anos 2000.

 

Como é feito

São vinhos de cepas brancas, mas que são vinificados como tintos. Ou seja, os sucos das uvas são mantidos por longo tempo em contato com as cascas, adquirindo, desse modo, elementos como polifenóis, cor (alaranjado ou âmbar) e textura rugosa.

Na Georgia , onde se originou este tipo de vinho a técnica, usada  consiste na colheita de cachos em estado de boa  maturação, que são introduzidos inteiros (engaços inclusive) em ânforas de terracota de forma ovoide chamadas kvevris (ou qvevris), que são revestidas internamente com cera de abelhas (resina) e enterradas sob a terra para que se tenha uma temperatura mais baixa, daí a lentidão do processo. Dependendo da uva ou do recipiente, o tempo que se macera é longo, de algumas semanas até vários meses (em geral, oito ou mais). Terminado esse processo, o líquido é retirado e trasfegado, deixando para trás os sedimentos que ficam no fundo da ânfora, onde permanecem por um período que pode ir de um a oito anos.

 

O sabor do vinho laranja

Os vinhos em contato com a pele tendem a um sabor rico em taninos e mais picante. Eles podem oferecer notas de melão, ervas ou nozes, embora o tempo que tenha sido fermentado com as peles afetará o sabor. Quanto mais contato, mais rico e profundo o sabor. Se envelhecidos com as peles por apenas algumas semanas, eles podem se parecer mais com o vinho branco, mas tudo vai depender de qual uva o enólogo trabalha. Afinal, os vinhos são produzidos em todo o mundo a partir de muitas áreas diferentes, com muitas uvas diferentes, daí os sabores tendem a mudar muito.  

 

Onde mais se consome

A maior parte do consumo deste tipo de vinho está na Rússia e na Europa Oriental. Mas nos Estados Unidos tem crescido muito o interesse por este vinho, especialmente pelos chamados “millenials”, uma geração de jovens, que está interessada em redescobrir os processos tradicionais. São jovens que estão começando no mundo do vinho e adotam os vinhos de cor laranja por causa do conceito de vinificação, que é baseado na convivência com a natureza.

 

Onde se produz

A Geórgia não é o único país que produz vinho de cor laranja. A Itália, a Espanha, a Eslovênia, a África do Sul, os Estados Unidos, o Chile e até o Brasil também produzem, só que em baixíssima escala.

 

O que harmoniza

Embora possa parecer um imenso desafio combinar esse vinho de sabor tão “exótico” , ao contrário, ele se apresenta de forma mais eclética e proporciona incríveis combinações. Vai desde peixes, saladas de legumes, carne de porco, carne de cordeiro, carnes brancas e massas. Pois este vinho tem a boa acidez do branco e a textura e corpo do tanino de um tinto.

 

Temperatura de Serviço 

Os sabores dos vinhos laranja são mais sutis quando refrigerados e se tornam mais expressivos à medida que se aquecem, por isso eles são melhores quando são um pouco mais quentes que um branco clássico e um pouco mais frios que um vermelho.

 

Vinho Laranja Nacional

O Brasil também tem o seu vinho “ laranja” é o vinho Era dos Ventos Peverella. Este exempla é produzido no Rio Grande do Sul, a partir de uma uva autóctone italiana de nome Peverella. É uma produção pequena, e não tenho notícias de que se usa ânforas no processo de vinificação. O certo é que é feito com o suco das uvas macerado com as peles por duas semanas em barricas de carvalho e que é vinificado da mesma forma que um vinho tinto, o que traz a cor âmbar no final. A produção deste tipo de vinho é uma iniciativa de três brasileiros: Álvaro Escher, Luiz Henrique Zanini e Pedro Hermeto.

 

Dica de Vinho

VINHO: Era dos Ventos Peverella

UVA:  Peverella

REGIÃO PRODUTORA: Vale dos Vinhedos

PAÍS: Brasil

SAFRA: 2016

VOLUME: 750ml

TEOR ALCOOLÍCO: 12,5º

TEMPERATURA SERVIÇO: 9º à 12º

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários