Coluna

Vinhos & tal

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

07/02/2020 06h00
Por: Redação

 SOBRE VINHO

 

Neste espaço sei que falo para pessoas que entendem muito de vinho, mas também falo para aqueles que conhecem pouco, mas que estão ávidos por aprender! E ai,, na hora de escrever aqui, não coloco muita censura, escrevo de modo que seja novidade para o leigo e uma recordação para os entendidos. Pois independente, do nível de conhecimento, sempre é bom ler e conhecer sobre vinhos. E quanto mais aprofundarmos neste conhecimento, maior será a amplitude de nosso prazer. Sem contar que facilitará a nossa escolha, principalmente quando estivermos em frente a uma gondola de um supermercado ou adega, com centenas de opções diferentes de rótulos!  Não é verdade? Então, vamos a algumas dicas e orientações , que são simples, mas de muita valia. Uma boa leitura! 

Como são os vinhos

Basicamente, um vinho é identificado por 5 grupos de caraterísticas específicas, que com a habilidade do enólogo, juntamente com as condições resultantes do cultivo, do  terroir e do  tipo de casta, vão dar a identidade ao vinho! São elas: 

Acidez : Baixa, Entre Baixa e Média, Média, Alta, Muito Alta

Taninos: Baixos, Entre Baixos e Médios, Médios, Adstringentes, Muito Adstringentes

Doçura:  Extrasseco, Seco, Meio Seco, Doce, Extradoce

Corpo: Baixo, Entre Baixo e Nédio, Entre Médio e Alto e Alto

Álcool : Leve, Entre Leve e Médio, Médio, Entre Médio e Encorpado,Encorpado

 

Quais os estilos de vinho

Um novato em vinho pode conhecer as diferenças básicas entre um vermelho e um branco, mas também é importante aprender todos os tipos de vinhos e varietais. Os estilos de vinhos que conhecemos basicamente são: Tranquilos (branco leve, branco  encorpado, branco aromático, rosé, tinto leve, tinto médio corpo, tinto encorpado) Sobremesa (Porto, Madeira, Marsala, Sauternes, Vin Santo, Xerez) Espumante ( Champagne,Cava, Prosecco, Lambrusco).

 

Onde se produzem vinhos

O vinho é feito em praticamente todos os países do mundo. Estes países são muitas vezes referidos como “Velho Mundo” ou “Novo Mundo”. “Velho Mundo” consiste em regiões com longas histórias de produção de vinho, como a Europa e partes do Mediterrâneo. Algumas das regiões vinícolas mais conhecidas do “Velho Mundo” incluem França, Itália , Espanha, Portugal e Alemanha, e essas regiões concentram-se muito no terroir - as características únicas do solo e do clima, que dão ao vinho um senso de lugar. “Novo Mundo”  é usado para descrever novas regiões produtoras de vinho, como  Argentina , Chile, Uruguai,  Brasil, EUA, Austrália, África do Sul, entre outros . Essas regiões tendem a ter climas mais quentes e geralmente usam diferentes métodos de rotulagem; eles tendem a usar as uvas em vez da região nos rótulos para reconhecimento.

 

Quais as principais regiões vinícolas e as uvas  mais conhecidas

Para se ter um exemplo, o Brasil que está longe de  figurar entre os maiores produtores de vinhos do mundo, mas cultiva em suas regiões vinícolas mais de 30  diferentes espécies de uvas, entre viníferas europeias e americanas. Mas as uvas Merlot e Cabernet Sauvignon das tintas, são as mais cultivadas por aqui . Assim, cada país segue o mesmo padrão como por exemplo:

França: Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Pinot Noir, Grenache, Syrah, Viognier, Chardonnay

Itália: Sangiovese, Nebbiolo, Barbera, Moscato, Pinot Grigio

Estados Unidos : Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, Chardonnay, Merlot, Zinfandel

Argentina : Malbec, Bonarda

Chile: Cabernet Sauvignon, Sauvignon Blanc, Carmernere e Merlot

Austrália: Shiraz, Chardonnay

Alemanha: Riesling, Gewurztraminer, Sylvaner

Espanha: Tempranillo, Albarino, Garnacha, Palomino

Nova Zelândia :Sauvignon Blanc, Pinot Noir

África do Sul: Pinotage Chenin Blanc

O que um rótulo de vinho pode informar 

À primeira vista, um rótulo de vinho pode ser confuso para aqueles que estão apenas começando. Pois eles podem conter 3 diferentes formas de informar com destaque o seu conteúdo e procedência. Basicamente são identificados por  Variedade de Uva,  Região Produtora e  Nome do Vinho. Felizmente, os produtores de vinho do Novo Mundo tornaram mais fácil para os iniciantes do vinho, listando as uvas diretamente no rótulo. As regiões do Velho Mundo já valorizam o produtor e a região:

 

Vinhos do Velho Mundo podem ser assim:

Château Moulin de Grenet 2009 Lussac Saint-Émilion

Os vinhos do Novo Mundo podem ser assim:

2016 Tarapacá Cosecha Cabernet Sauvignon

Mas existem muitas outras informações no rótulo de um vinho além do tipo de uva  , que também são importantes como : teor alcóolico; quantidade; nome do produtor; região; ano da colheita; varietal ou blend; grau de doçura; se passou por barrica de carvalho; o método  Charmant ou Champenoise como é caso dos espumantes; natural, biodinâmico ou orgânico..... e muitas outras. Por isso é bom ler atentamente o rótulo, inclusive àquelas de letrinhas bem miudinhas.  IMPORTANTE, agora , para evitar roubos, fraude e falsificações, alguns países já estão introduzindo no rótulo um QR CODE, onde está armazenado importantes informações sobre o vinho, como procedência, safra, vinícola, lote, etc

Portanto , estão ai algumas dicas, espero que elas tenham sido utéis. Se quer saber mais, estudar e aprofundar, nos siga por aqui ou pesquise em livros e na internet, pois o que não faltam , são informações sobre vinhos! Um abraço!

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários