Coluna

Vinhos & tal

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

14/02/2020 06h00Atualizado há 6 meses
Por: Redação

 

VINHOS DA GRÉCIA

Embora os italianos prefiram considerar que o Deus do vinho seja Baco, filho de Júpiter, os helênicos (como os gregos preferem que sejam reconhecidos), Já acham que este Deus é Dionisio, filho de Zeus! Com preferências à parte, o certo é que a mais de 4 mil anos se tem notícia desta bebida e podemos garantir, que tanto a Grécia como a Itália, foram fundamentais na produção, nas técnicas, na difusão e na cultura do vinho!

Mas hoje, vamos falar dos vinhos que são produzidos na Grécia e conhecer um pouco desta cultura milenar, que segundo  historiadores, (lá no começo) o processo de produção dos vinhos, eram bem diferentes e rudimentares ,onde eram adicionados água do mar e depois  reduzidos a um xarope bem espesso e turvo, que tinha que ser coado num pano e dissolvido em água quente, para depois ser ingerido.

Fico aqui imaginando qual era o gosto disso e como era reconhecer todas as propriedades do vinho, como os aromas e suas sutilezas, quesitos que tanto apreciamos nos dias de hoje. Enfim, é para isso que evoluímos: não é verdade? Mas podem ter certeza, o vinho grego é de boa qualidade, em sua maioria uma bebida refrescante e muitíssimo agradável que tem feito muito sucesso no mundo todo. Vamos a ele e uma boa leitura a todos!

 

Terroir

Cerca de 80% da superfície terrestre da Grécia é formada por montanhas e mesmo sendo um país de pequena extensão (menor que o Acre), tem 13.676 quilômetros de praias, que representa o dobro do que temos no Brasil, que estão inclusos aí as 1.400 ilhas existentes no país. Portanto, podemos ver que há uma interessante variante climática, que influi diretamente na personalidade de cada Terroir. São montanhas, mar, solos vulcânicos e calcários, argilosos e arenosos, que dão um bom trabalho aos enólogos. Por isso estes vinhos apresentam uma grande riqueza de aromas e sabores, justamente o diferencial, que dá a eles muito personalidade.

 

Área de cultivo

Como já citado, a Grécia é um país moderadamente pequeno, especialmente em termos de cultivo de videiras, com uma área cultivada de cerca de 61.500 hectares de vinhedos. A superfície sob videira tem sido notavelmente estável na última década, embora um pequeno aumento seja projetado para o futuro. O número de produtores é próximo de 180.000, o que representa cerca de um quinto de todos os proprietários de terras envolvidos na agricultura. Portanto, o tamanho médio da propriedade em termos de vinhedos está ligeiramente acima de meio hectare, indicando que a viticultura na Grécia é um setor extremamente fragmentado. Existem mais de 1290 vinícolas produzindo vinho.

Regiões produtoras

A produção média anual de vinho em 2017 foi de 2,5 milhões de hl, o que o torna o pais o 17º maior país produtor de vinho do mundo. Os estilos são dominados pelos vinhos brancos, já que os tintos representam cerca de um terço da produção total. Em termos de produção de vinho, a Grécia é dividida em cinco zonas: norte da Grécia (incluindo Trácia, Macedônia e Epiro), Grécia Central e Ática, Peloponeso e Ilhas Jônicas, Creta e, finalmente, Ilhas Egeias.

Assim sendo, os principais centros vitícolas encontram-se em Creta, Peloponeso, Macedônia e na área da Grécia Central, perto de Atenas, nomeadamente as prefeituras de Ática e Viotia (Boetia). Em termos de denominações, a maior denominação de vinho tinto é Nemea; para brancos secos é Patras; Samos lidera o caminho para os brancos doces; e Patras, desta vez com a variedade Mavrodaphne, também domina os tintos doces. No entanto, muito poucas áreas na Grécia são completamente livres de videiras e essas geralmente são as partes extremamente acidentadas do país. Existem 33 regiões que atingiram o status de DOP (Denominação de Origem Protegida), que eram conhecidas anteriormente como OPAP (o equivalente grego de VqPrD) ou OPE (o equivalente grego de AOc). As denominações mais importantes são consideradas Santorini DOP (produzida a partir de uvas Assyrtiko), Nemea DOP (da Agiorgitiko), Mantinia DOP (da Moschofilero), Naoussa e Amynteo DOP (ambas da Xinomavro). Também existem quase cem Indicações Geográficas Protegidas (IGP), a nova classe que abrange todos os vinhos regionais, bem como dois estilos na categoria Especialidade Tradicional Garantida (TsG).

Principais Uvas

As castas gregas autóctones são, como esperado, a maioria na produção dos vinhos locais, ou cerca de 90% do total. As três castas mais importantes em termos de quantidade são Savatiano, Roditis e Agiorgitiko. Mas ao todo, são mais de 300 variedades de uvas existentes na Grécia, dentre elas são destaques:

BRANCAS

Savatiano,Roditis, Muscats, Moschofilero, Vilana, Assyrtiko

TINTAS

Agiorgitiko,Xinomavro, Mandelaria, Kotsifali

Mas as castas internacionais como: Cabernet Sauvignon, Syrah, Merlot, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Viognier, também tem seu espaço na Grécia, embora com produção pequena.

 

 

Um vinho de prestígio

Uma variedade de vinhos de maior prestígio no país é o Retsina, ele é produzido a partir de antigas técnicas na qual é adicionada a resina de pinho à bebida. Ao redor de Atenas concentrasse a maior parte da produção deste vinho, cuja finalidade principal é atender os turistas que buscam por esta iguaria. Mas em outras partes do país também é produzindo, só que em menor quantidade.

 

Dica de Vinho

Tipo de vinho: Branco

País: Grécia

Região: Peloponeso

Teor alcoólico: 11%

Tipo de fechamento: Rolha sintética

Produtor: Cavino

Serviço: 8°C

Volume: 750mL

Uvas :Várias uvas

 

Harmonização

Este vinho harmoniza bem com pratos típicos da culinária mediterrânea, em especial com frutos do mar e vegetais assados.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários