Mosaic
Prefeitura- coronavírus
Artigo

Ensaios técnicos uberabenses (I)

Guido Bilharinho

Guido Bilharinho

Guido BilharinhoAdvogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema, estudos brasileiros, História do Brasil e regional.

04/03/2020 06h00
Por: Redação

ENSAIOS TÉCNICOS UBERABENSES (I)

 

Inúmeros ensaios sobre diversos assuntos técnicos, no sentido mais amplo do termo, foram elaborados em Uberaba ou por uberabenses residentes em outras cidades.

A exemplo da literatura de ficção (romances, contos e peças teatrais), as bases sócio-econômicos-culturais propiciatórias da elaboração de ensaios somente surgiram após certo desenvolvimento da cidade, no início do século XX, registrando-se aqui seus títulos e autores conforme sua obra científica e técnica e segundo a ordem cronológica de aparecimento do respectivo primeiro livro.

À evidência, principalmente em produção intelectual tão diversificada, impossível inicialmente referenciar todas suas manifestações, seja por esgotada sua edição, seja por inacessibilidade.

 

I – MINERALOGIA E GEOLOGIA

O pioneiro dos estudos nessas áreas, como em tantas outras iniciativas (romances e imprensa, por exemplo), foi o médico francês HENRIQUE RAIMUNDO DES GENETTES (? – 1889) nos meados da década de 1850, conforme confirmado pelo visconde de Taunay em suas “Memórias” e outros livros.

Mais modernamente, procedeu a sérios estudos nessas especialidades, a dominicana irmã Loreto.

 

II – METEOROLOGIA

Os estudos meteorológicos em Uberaba foram também iniciados nos meados da década de 1850 por HENRIQUE RAIMUNDO DES GENETTES, e segundo atestou o visconde de Taunay nos livros acima referidos.

A sucessão, constância e significado desses estudos demandaram texto próprio a ser oportunamente publicado, assinalando aqui sua ocorrência apenas para composição do conjunto da produção cultural local.

 

III – ESTUDOS JURÍDICOS

Conquanto bem antes manifestados na atuação forense (petições, arrazoados) e em revistas especializadas, os estudos jurídicos em Uberaba só vieram a ganhar o status livresco em 1908, quando o promotor e advogado Felício Buarque lançou a obra “Divisão e Demarcação de Terras do Domínio Privado”.

Dado o alto grau de desenvolvimento, amplitude e profundidade que tais estudos apresentaram em Uberaba, à semelhança das iniciativas meteorológicas, serão objetos de texto próprio, à parte.

 

IV – PROBLEMAS BRASILEIROS

Primeiro uberabense a se preocupar, ou pelo menos a se manifestar, sobre problemas nacionais, FIDÉLIS REIS (1880-1962), publicou em 1919 “A Política da Gleba”, abrangendo trabalhos elaborados entre 1909 a 1919 no âmbito da tríade “Falando, Escrevendo e Agindo”, compreendendo, respectivamente, discursos, pronunciamentos, artigos, comunicações, propostas e indicações apresentadas à Sociedade Mineira de Agricultura, da qual foi presidente. 

*

Em “País a Organizar”, de 1931, FIDÉLIS REIS enfatizou a necessidade de ensino técnico, a formação para o trabalho, o problema imigratório e a situação funcional de servidores públicos civis e militares que exerceram mandatos legislativos. 

*

Em 1937 foi publicado o livro “Ação Nacional”, de JOSÉ MENDONÇA (1904-1968), enfocando série de problemas brasileiros, culminando com capítulo dedicado ao dilema euclidiano (de E. da Cunha) “ou progredimos ou desaparecemos”, que tanto impressionou Monteiro Lobato, que a ele se referiu, afirmando que era o livro que gostaria de ter escrito.

*

Quando deputado federal na legislatura de 1945/1950, JOÃO HENRIQUE SAMPAIO VIEIRA DA SILVA pronunciou candente e vigoroso discurso, publicado em livro em 1947 sob o título “Pró-Pecuária”, em que defende os criadores de gado e crítica a política financeira do Banco do Brasil por não só não ter apoiado a lavoura cafeeira em 1929 como a ter combatido e a levado à ruína, denunciando que essa mesma orientação, por coincidência com o mesmo diretor do Banco, foi e estava sendo aplicada à pecuária em 1945, com “a mesma veemência e a mesma insanidade”, não só por não dar apoio ao criador de gado como, “ao contrário, [movendo-lhe] campanha terrível de descrédito”.

*

Já quando presidente do Conselho Superior das Caixas Econômicas Federais, o ex-deputado JOÃO HENRIQUE SAMPAIO VIEIRA DA SILVA publicou, em 1956, o livro “As Caixas Econômicas Sob o Impacto da Legislação Fragmentária”, instruído com inúmeros anexos e diversos gráficos.

*

Não obstante editado em 1964, o livro “Organização Agrária Sem Comunismo”, de JOÃO HENRIQUE, foi elaborado em 1954, consistindo em relatório apresentado ao Conselho Superior das Caixas Econômicas Federais autorizando a Caixa da Paraíba “adquirir uma fazenda, dividi-la em minifúndios e vendê-los a longo prazo”, relatório acrescido de comentários na oportunidade da publicação em livro.

*

Em “Homens e Problemas do Brasil”, de 1962, o experiente FIDÉLIS REIS discorreu sobre pessoas, temas e problemas que sempre o preocuparam (e ocuparam) na longa e agitada trajetória parlamentar, na intensa e profícua atuação em entidades classistas, particularmente na ACIU (da qual foi presidente por dez anos e construtor de sua sede) e na fundação e direção de empresas (notadamente o Banco do Triângulo Mineiro).

*

Em 2002, o jornalista e escritor REINALDO DOMINGOS FERREIRA, em decorrência da função de assessor de imprensa do Banco Central, publicou o “Dicionário da Dívida Externa Brasileira”, no qual, por meio de mais de quinhentos verbetes atinentes ao assunto, discorre sobre pessoas, instituições, pactos, contratos, atos e práticas ligadas aos mecanismos da dívida externa do país.

 

V – POLÍTICA

Em 1921, ORLANDO FERREIRA, O DOCA (1886-1957), lançou “Rui Barbosa e Seus Detratores” (na realidade, apenas um), analisando e impugnando as acusações contra Rui contidas no livro “Contradições e Mentiras Documentadas do Senador Rui Barbosa na Campanha Eleitoral de 1919”, de autoria de Ernesto Alves Bagdocino.

*

Em 2004, o juiz federal aposentado PAULO FERNANDO SILVEIRA lançou o alentado volume “500 Anos de Servidão – A Lei Como Instrumento de Dominação Política no Brasil” em 511 (quinhentos e onze) páginas, no qual, como afirma o Autor na Introdução, objetiva-se “fazer um estudo sumário sobre o poder político no correr da história, notadamente no que concerne às repercussões nas instituições política de nosso país”.

*

Em 2011, PEDRO LIMA lançou “ABC da Política em Poucas Palavras”, com precisos e sintéticos conceitos e definições de mais de sessenta termos concernentes à política e à administração pública, a exemplo de concessão, parlamentarismo, democracia, ditadura, inflação, mercado de capitais, mercado paralelo, estado de sítio, tributos, lei orgânica, lei delegada e, ao final, um manual do vereador.

 

 

 

Guido Bilharinho é advogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema, estudos brasileiros, História do Brasil e regional editados em papel e, desde setembro/2017, um livro por mês no blog https://guidobilharinho.blogspot.com.br/