Mosaic
Prefeitura- coronavírus
Fenauto

Vendas de veículos usados ficam estáveis no bimestre

No acumulado do bimestre foram 2.242.641 negócios

07/03/2020 06h00
Por: Redação
Mercado desacelera 1,8%, mas negócios por dia útil têm pequena alta de 0,6% - Foto: Divulgação/Auto Avaliar
Mercado desacelera 1,8%, mas negócios por dia útil têm pequena alta de 0,6% - Foto: Divulgação/Auto Avaliar

Com total de 1.025.281 unidades comercializadas em fevereiro, o mercado de veículos usados recuou 15,8% no comparativo com janeiro (1.217.360) e 8,4% em relação ao mesmo mês de 2019, quando foram vendidas 1.119.477 unidades. No acumulado do bimestre foram 2.242.641 negócios, queda de 1,8% no comparativo com os dois primeiros meses do ano passado (2.282.854).

Apesar dos números negativos, a Fenauto, Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores, representante do setor de lojistas multimarcas de veículos seminovos e usados, lembra que este ano teve um dia útil a menos do que em 2019, razão pela qual pode-se falar em estabilidade do mercado.

“A média das vendas diárias ficou em 54.699 unidades, com pequeno crescimento de 0,6% em relação às 54.354 comercializadas no primeiro bimestre do ano passado”, informa o executivo. Ele admite, no entanto, que por enquanto não há sinais de recuperação do mercado que possa garantir o esperado crescimento para este ano.

Segundo ele, a estagnação da economia brasileira e a desaceleração da economia mundial (com ênfase na chinesa) são fatores que têm dificultado a efetiva retomada dos negócios no setor. “Com as perspectivas de novos projetos a serem apresentados ao Congresso Nacional para destravar a economia, manteremos nossa atenção voltada para uma possível mudança ou variação dos níveis de confiança do consumidor que possam apontar a esperada recuperação dos negócios”.

Por tempo de uso, verifica-se queda no caso dos veículos mais novos e crescimento nas vendas dos mais velhos. O segmento de seminovos, aqueles com até 3 ano, recuou 3,3%, para 364.880 unidades, e o de modelos com 4 a 8 anos de uso teve queda de 9,1%, para 841.884 unidades.

Já os negócios relativos aos veículos com 9 a 12 anos evoluíram 9,1%, para 495.733 unidades, e os que envolvem os chamados velhinhos, com mais de 13 anos, cresceram 2,9%, para 540.144 unidades.