Prefeitura- coronavírus
Mosaic
Coluna

Mulherio

Juba Maria

Juba Maria

Juba MariaJornalista formada pela UFRJ, mãe e poeta, trabalha como Assessora de Comunicação da Infraero. É uma das coordenadoras do projeto AMAi e dá palestras sobre Comunicação Não-Violenta.

08/03/2020 06h00
Por: Redação

Teatro feminino

Sob a direção de Cássia Magaly, o espetáculo  “Segredinhos de Fulaninha e Dona Coisa” arrancou aplausos sexta, dia 6, no Teatro Vera Cruz. O destaque ficou por conta da atuação de Ana Elisa Gonçalves, no papel de Fulaninha, evidenciando com humor as relações de opressão que envolvem o trabalho doméstico no Brasil. 

Cássia também esteve impecável como Dona Coisa, a patroa. O projeto Sexta do Teatro ocorrerá uma vez por mês e é um projeto apoiado pela Fundação Cultural da Cidade. 

 

Cautela

Em ano eleitoral, a Prefeitura corre para conseguir a locação do espaço onde pretende que funcione a Casa da Mulher Brasileira. Esquece a necessidade de uma avaliação criteriosa do projeto e dos serviços para que as mulheres que mais precisam sejam realmente acolhidas e possam sair da situação de violência. A gestão será do município, porém participativa com a sociedade civil.

 

Rodas de Conversa

No último dia 5, um grupo de mulheres estiveram no CRAS Décio Moreira, no bairro Jardim Elza Amui, para falar sobre os Direitos das Mulheres. A ação faz parte da programação do 8 de março. As rodas ocorrerão novamente nos dias 12, 18 e 20, em outras unidades.

 

Sarau

Dia 4, no Centro Educativo da UFTM, após a Aula Inaugural do Instituto de Educação, Ciência, Artes, CIências Humanas e Sociais, foi lindo ver os estudantes e convidados declamando poemas sobre violência contra a mulher, além de textos que nos fazem refletir sobre os problemas da política atual. A atividade contou com a organização da sempre presente, Marcinha Resende.

 

Empoderação

Sábado, dia 7, foi a vez de a professora e atriz Maíra Rosa realizar a oficina de teatro “Teatro e empoderação feminina”, no SINDTTAE. Maíra traz toda a sua dor e pujância ao realizar atividades que tocam no mais íntimo das mulheres. Merece todo aplauso e admiração.

 

Nossa, feira!

Hoje, domingo, será dia de as mulheres de Uberaba saírem de casa para prestigiar e lutar por direitos. Até 13h, na Igreja da Abadia, acontece a “Nossa, feira”, que estamos organizando coletivamente para dar às mulheres desempregadas, isoladas, sozinhas e, principalmente, que experienciaram violências diversas ao longo da vida, a oportunidade de vender bolos, brigadeiros, tortas, doces diversos, artesanato, bonecos de pano e serviços de beleza e estética. Tudo isso de forma autogerida, cooperada, com ajuda mútua e afeto.

Haverá ainda plantão psicológico gratuito, dança circular, música, roda de conversa sobre cooperativismo e economia solidária, além de varal de poesia. Mulheres interessadas em participar do projeto em edições futuras poderão fazer um cadastro. Corre lá.

 

Marcha

Também na Praça da Abadia, a partir das 8h, mulheres estarão concentradas para fazer uma Marcha relativa ao Dia Internacional da Mulher, reivindicando por melhores condições de vida e direitos.

Ao longo da semana, outras atividades, rodas de conversa , atos, palestras e debates lembrarão ainda a morte de Marielle Franco. Aliás, quem mandou matar Marielle?

 

Setorial do PSOL

Falando nisso, o PSOL Uberaba aprovou a criação do Setorial de Mulheres local e está participando ativamente das atividades do 8M, mostrando que veio para renovar a política de esquerda em Uberaba. Precisa.