Mosaic
Prefeitura- coronavírus
Futebol

Atletas dos clubes do Rio treinam em tempos de quarentena Covid-19

Os quatro grandes clubes do Rio de Janeiro estão com suas atividades temporariamente suspensas

21/03/2020 06h00
Por: Redação

Se em tempos de coronavírus a orientação é ficar em casa e evitar aglomerações, é claro que isso se estende aos jogadores de futebol. Os quatro grandes clubes do Rio de Janeiro estão com suas atividades temporariamente suspensas, e os atletas estão tendo que seguir à risca a cartilha elaborada por suas equipes para manter a forma física durante essa pausa. Isso significa treinamentos sozinhos em casa, acompanhados por profissionais particulares ou até por videochamadas.

 

Flamengo - A exemplo dos outros clubes, os departamentos médico e de fisioterapia do Flamengo redigiram uma cartilha com orientações para que os atletas sigam enquanto estão em casa. São regras que vão desde exercícios físicos até alimentação. Com família em Santos, Gabigol, artilheiro da equipe no ano com 11 gols, é um dos poucos que saíram do Rio de Janeiro e cumpre a quarentena no litoral paulista. O meia uruguaio Arrascaeta, por sua vez, recorreu a um preparador físico particular - na foto abaixo, ele aparece treinando ao lado da esposa Camila Bastiani.

Uma grande parte do elenco rubro-negro está trabalhando com o preparador físico Rafael Winicki, amigo de longa data do meia Diego. É com ele, por exemplo, que Rodrigo Caio, Filipe Luís, Everton Ribeiro, Piris da Motta, Vitinho, Pedro, Gustavo Henrique, Thiago Maia e Berrío estão mantendo a forma nesses últimos dias. Ele vai de casa em casa e chega a atender até oito jogadores no mesmo dia.

“É um trabalho completo que vai desde o preventivo até mobilidade e estabilidade. Principalmente os atletas que têm histórico de lesão recente, como o Rodrigo, o Filipe Luís, o Vitinho, que ficam com medo de enfraquecer nesse retorno e se lesionarem novamente. Fazemos esse trabalho de força também para não perder a performance. Todos eles têm um espaço de grama em casa, onde dá para fazer o condicionamento físico, o sprint com bola”, conta ele, que normalmente trabalha por uma hora com cada jogador.

Diego tem uma academia completa na sala de sua casa, e outros jogadores possuem campos de futebol e aparelhos de musculação, o que facilita o trabalho de condicionamento físico. Ainda assim, Winicki conta que leva seu próprio material e elabora execícios que complementam as orientações do clube. “Como o clube emitiu essa planilha de treino para os atletas, eu estou usando ela como base para não gerar discrepância no trabalho de um para outro”, conclui.

 

Vasco - No Vasco, a cartilha sugere exercícios de movimento simples, que podem ser feitos no “chão liso, na bicicleta ou no aparelho ‘transfer”, conforme explicou o médico Rodrigo Furtado ao site “Atenção, Vascaínos”. O atacante Germán Cano publicou imagens dos seus treinos em casa nas redes sociais. Outros jogadores, como Felippe Bastos e Thiago Reis, seguiram o mesmo exemplo.

Ao GloboEsporte.com, Dr. Marcos Teixeira, que também é médico do Cruz-Maltino, contou que uma das preocupações do clube repassada nas orientações diz respeito à parte nutricional, que precisa ser ajustada. Afinal, gasta-se menos energia em casa e, portanto, é preciso comer menos.

“Há orientações na nossa cartilha de preparação física e de exercícios diários para os atletas se exercitarem e manterem o preparo muscular e cardiovascular. Ela acompanha também informações nutricionais, porque é claro que a demanda física em casa é muito menor. Tem que readequar a parte nutricional”, explica ele.

O clube reconhece que, apesar dos esforços, haverá perda de condicionamento físico durante esse período. Teixeira afirma que o objetivo é “minimizar ao máximo” essa perda e explica também que não é possível monitorar a situação de cada jogador nesses dias.

“A gente tem um grupo de atletas que olha mais de perto. São atletas que estão voltando de uma situação de inatividade ou, por exemplo, o Talles Magno, que é um pós-operatório. É com esse grupo específico que a gente está tendo um cuidado maior”, disse.

 

Fluminense - No caso do Fluminense, além da cartilha de orientações, o clube colocou à disposição fisiologistas e preparadores físicos para que os atletas façam contato por telefone em caso de dúvidas. Nas redes sociais, jogadores como Nenê, Muriel e Nino compartilharam os momentos de treinamento durante a quarentena.

“O clube está acompanhando a gente nesse momento complicado no mundo todo. É importante eles acompanharem e manterem a gente ativo, fazendo algumas atividades em casa e cuidando da nossa nutrição também, por exemplo. É muito importante esse cuidado”, disse o atacante Evanílson em entrevista ao site oficial do Tricolor.

Um caso curioso no Tricolor é o do atacante Felippe Cardoso, que vem recebendo orientações por videochamada do seu preparador físico, Iago Leite. Iago explicou a GloboEsporte.com como se dá essa rotina de treinos online.

“No caso do Felippe, é uma maneira bem eficaz de se trabalhar porque ele já tem um nível de excelência na execução dos movimentos, os jogadores já são perfeccionistas nisso. Então eu oriento um pouco. Trabalhar a performance deles é bem mais fácil”, conta Iago Leite, que tem comandado todos os dias sessões de atividades com Felippe que duram entre 1h e 1h30.

“Quando eu faço videochamadas com o Felippe, eu tenho um estúdio em que eu gravo os movimentos e repasso para ele, mostro na câmera certinho e consigo corrigi-lo. Se tiver o espaço adequado, dá para trabalhar de boa”, conclui ele.

 

Botafogo - O Botafogo tem preocupações nessa quarentena que vão além do condicionamento físico dos atletas: é a situação dos que estão no departamento médico. Nesta última quinta-feira, por exemplo, o clube identificou uma lesão na coxa de Marcelo Benevenuto. O zagueiro Joel Carli e os laterais Marcinho e Fernando, todos se recuperando de lesões, também estão recebendo atenção especial no Glorioso.

No que diz respeito aos demais, a rotina é parecida com a dos atletas dos outros clubes: bastante exercício em casa. Titulares da equipe, Kanu e Caio Alexandre postaram treinando juntos com direito até a um quadro para anotar as atividades. A única suspeita de contaminação por coronavírus no elenco foi Honda, antes da partida contra o Paraná, mas o exame no japonês deu negativo.