Mebox
Entrevista

Sebrae Minas intensifica ações aos pequenos negócios durante o Covid-19

Gerente da Regional Triângulo do Sebrae Minas, William Rodrigues de Brito, fala da campanha “Em frente, Empreendedor! Conte com o Sebrae Minas”

29/03/2020 05h00
Por: Marconi Lima
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os pequenos negócios formam o segmento mais sensível aos impactos econômicos da pandemia do coronavírus/Covid-19 no Brasil. Para subsidiar os empreendedores com informação e orientação sobre estratégias e decisões importantes neste cenário de incertezas, o Sebrae Minas lançou a campanha “Em frente, Empreendedor! Conte com o Sebrae Minas” na luta contra o coronavírus.

Em entrevista ao JORNAL DE UBERABA, o gerente da Regional Triângulo do Sebrae Minas, William Rodrigues de Brito, explica que a ação consiste na oferta de palestras on-line, cursos, cartilhas, infográficos, e-books e outros conteúdos digitais exclusivos. O material pode ser acessados por meio do endereço http://sebrae.mg. 

O conteúdo do portal concentra respostas a diversas dúvidas dos empreendedores, que intensificaram a busca por atendimento no Sebrae nas últimas semanas. As consultas mais recorrentes são relacionadas a temas como vendas on-line, marketplaces, modelos de delivery, financiamento e refinanciamento, trabalho remoto, entre outras.

 

JU – Os pequenos negócios formam o segmento mais sensível aos impactos econômicos da pandemia do coronavírus no Brasil. Para dar suporte a estes empreendedores, o Sebrae Minas lançou a campanha Em Frente Empreendedor! Como vai funcionar essa campanha?

William Rodrigues de Brito - Realmente os pequenos negócios brasileiros, que são a grande maioria na composição da estrutura empresarial do país, estão e serão muito afetados por esta pandemia do coronavírus, de forma imediata e também ao longo dos próximos meses. Para fazer frente a esta situação e enfrentá-la com muito vigor, o Sistema Sebrae tem desenvolvido junto com seus parceiros e aliados, um coquetel de ações e atividades na busca de minimizar a recessão e orientar os pequenos negócios nesta hora tão difícil. O Sebrae Minas ao lançar a campanha Em Frente Empreendedor, buscou, no primeiro momento, orientar e acalmar seus clientes, usando a força de toda sua estrutura de atendimento e, ato contínuo, está reunindo conteúdos e orientações técnicas úteis e válidas e as direcionando para públicos e segmentos específicos da economia, visando dar orientações às MPEs sobre como agir nas atuais circunstâncias. Praticamente todo este trabalho vem sendo, à princípio, realizado no ambiente virtual, à distância e nas redes sociais, plataformas e canais remotos de atendimento. São lives diárias, palestras, consultorias, divulgação de vídeos e demais conteúdos que visem dar esta orientação inicial ao nosso público de micro e pequenas empresas.

 

JU – Os empreendedores, alguns deles Microempreendedores Individuais (MEIs) tem um grande desafio. Trabalhar de portas fechadas. Pelo menos alguns segmentos. Como manter o negócio vivo diante deste quadro?

William Brito - É uma situação inusitada e estamos todos aprendendo com ela. Certamente, após esta onda, os negócios no país não serão mais os mesmos, a começar pelo intenso incremento do conceito de serviços realizados à distância, a busca intensa e valorização do cliente, a melhoria no atendimento e outras tantas transformações. De forma geral, toda economia será duramente afetada, porém os menores ainda mais. O trabalho de portas fechadas, seja por imposições legais ou pelas características do próprio empreendimento sofrerá uma grande reinvenção. Manter este negócio aberto e vivo vai requerer criatividade, revisão de conceitos antigos, contato direto com o cliente, especialmente por canais virtuais, melhoria nos processos de atendimento, exposição e venda, entrega, recebimentos, enfim. Entender o comportamento de seus clientes, quando e porque ele compra. Medir sua satisfação, cumprir com novos acordos virtuais, ou seja, o pequeno negócio e isso vale para o MEI,  deverá passar a usar de ferramentas de marketing digital e inteligência artificial, para isso terá que se adaptar, se capacitar e se desenvolver continuadamente.

Entretanto, não obstante a estas melhorias necessárias no comportamento e atitude do empreendedor, aguardamos ansiosos o clareamento das medidas macroeconômicas que estão em curso, tanto aquelas vindas das esferas federais, estaduais e mesmo nos municípios, pois estas serão definidoras de situações futuras, tais como: políticas de renegociação e crédito, reescalonamento de tributos e por vezes isenções e abatimentos, aportes sociais para garantia da renda e do emprego. Sem estas, será ainda mais complexo, porém certamente elas virão rapidamente. O Sebrae é um soldado vigilante que tem buscado entender, traduzir e disseminar todas essas políticas em curso.

 

JU – Como esses empreendedores podem trabalhar com as mídias sociais, para manterem-se próximos a seus clientes? Onde buscar um suporte para trabalharem com mídias sociais?

William Brito - Há inúmeras alternativas de posicionamento ou reposicionamento de produtos e serviços nas ditas mídias sociais. Porém isso não pode ser igual para todos. Cada tipo de negócio possui um público específico, um perfil de clientes que se alteram com o tempo. Para tanto é fundamental, de forma especial neste momento, identificar quais são os melhores canais de divulgação deste ou daquele segmento, para que os produtos e serviços sejam melhor direcionados a cada público. Paralelo ao incremento de ações nas mídias digitais, faz-se necessário repensar e adequar situações internas como logística, formas de pagamento, dentre outras. Importante estar atento aos novos hábitos e comportamentos dos clientes em casa segmento. As pessoas querem fazer negócios dentro de relações fortes, e observam, especialmente nos canais virtuais se há reciprocidade, simpatia, empatia, compromisso, consistência e, dentre outros, autoridade (conhecimento sobre o que está sendo adquirido). Do contrário, é um click e thcau. Adeus cliente.

Neste sentido, o Sebrae dispõe, em plataformas diversas, de consultorias, orientações e capacitações que colaboram com a melhor tomada de decisão do empresário de pequenos negócios. 

 

JU – Podemos acreditar que novos modelos de negócios podem surgir a partir desta crise desencadeada pelo coronavírus?

William Brito - Certamente. Toda mudança gera oportunidades e ameaças. Com a situação do coronavírus, não será diferente, aliás será ainda mais contundente. As empresas que passarem por esta tempestade, estarão expostas a um novo ambiente de negócios muito diferente de tudo que estávamos acostumados a ver. Está ocorrendo, a fórceps, uma aceleração drástica nos processos de transformação digital nos negócios e o empreendedor desta nova era pós corona deve estar atento e se preparar. 

 

JU – É importante também neste momento que o empreendedor esteja atento à sua saúde e das pessoas ao seu redor, seja sua família, fornecedores ou clientes. Onde ele pode buscar informações para seguir normas de vigilância para evitar a contaminação pelo coronavírus?

William Brito - Sem nenhuma sombra de dúvidas, a saúde e proteção de todos, sem exceção é o foco principal neste momento conturbado. Recuperar a economia e garantir renda são pontos que não podem andar dissociados do pacote das soluções. Todas as medidas que achatam a curva de proliferação desta pandemia e que reduzam a quarentena imposta serão bem recebidas. Observar e obedecer as orientações da OMS e dos órgãos federais, estaduais e municipais de saúde, olhar e aprender com situações já vivenciadas e ir medindo o impacto de sua intensidade, são medidas técnicas que não podem ser deixadas de lado. Entendo que muitas regras e decisões serão revistas, porem o empreendedor deve seguir as orientações das secretarias municipais de saúde e das vigilâncias sanitárias locais.

 

 JU – A Páscoa é o principal período de vendas para a indústria do chocolate durante o ano. E aí vem uma cadeia enorme, com pequenos negócios que conseguem neste período um incremento em seu faturamento. Agora, neste ano de 2020, a Páscoa se transformou em um dos maiores desafios já encarados pelos setores. Os empresários que esperavam um crescimento de 5 a 10% nas vendas. E agora, com a crise do coronavírus, o que fazer para tentar mudar um cenário que parece nada animador?

William Brito - Neste segmento específico, nada demonstra que este cenário tempestivo será de curto prazo, portanto as previsões de crescimento tendem fortemente a não se concretizarem. O tempo é de se organizar para se manter vivo, não contrair dívidas e compromissos adicionais. Renegociar com fornecedores e instituições financeiras, reduzir custos e rever fluxos financeiros, aproveitar-se dos programas do macro ambiente que já estão em curso (REFIS, reescalonamento de tributos, etc).

O Sebrae está atuando com cautela e buscando personalizar cada atendimento, acolhendo as demandas das mais diversas, orientando cada um a seu tempo e peculiaridade, certos de que o mais importante se dará na retomada pós pandemia.   

 

JU – É um momento para os empreendedores reverem seus gastos e cuidar do controle do fluxo de caixa?

William Brito - É hora sim de rever os gastos, mas, sobretudo reduzir custos. Avaliar aqueles que, neste momento, não agregam valor para o cliente. O cliente, na sua maioria também em sistema de quarentena, dará valor a atributos com prazo de entrega, facilidades de pagamento (sem custos adicionais). A escassez neste momento joga a favor do empreendedor, pois a incerteza do consumidor sobre disponibilidades, acelera a escolha. Muitos negócios neste momento aumentam consideravelmente seus preços em função do aumento da demanda. Esta estratégia é muito arriscada, pois pode romper um pseudo pacto de confiança entre empresa e consumidor. Dê informações seguras ao seu cliente. Neste momento informação não é como vinho (quanto mais velho melhor), mas sim como pão (quanto mais novo e quentinho, melhor).

    

JU – E qual mensagem do Sebrae para os empreendedores neste momento tão complicado?

William Brito - O momento requer calma e foco nas informações úteis e válidas para seu negócio. Há uma enxurrada de informações de diversas fontes distintas e muitas delas podem não colaborar em nada com seu negócio. Busque grupos de referência alinhados com seus objetivos e atividades. Não espere por procurar seu contador/advogado e se resguardar de situações indesejadas. Estreite um contato com seus clientes. Renegocie com seus fornecedores prazos e reescalonamento de faturas. Não faça compras desnecessárias. Converse com seu agente financeiro, se houver. 

Busque se atualizar sobre assuntos sensíveis do seu negócio que você nunca teve tempo. 

Outra orientação que serve a todos indistintamente é priorizar as compras nos pequenos negócios da sua cidade, se possível do seu bairro. Desta forma contribuiremos com a retenção de moeda circulando na nossa cidade. 

O Sebrae desenvolveu uma série de materiais especiais para o momento, os quais podem ser absorvidos nos nossos diversos canais.

As relações de consumo e o ambiente empresarial jamais voltarão ao status anterior, portanto aproveite o momento reinvente-se e vamos em frente empreendedor!  

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários