Mebox
Coluna

Vinhos & tal

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

03/04/2020 05h00
Por: Redação

VINHOS NATURAIS, ORGÂNICOS E BIODINÂMICOS

Em tempos de Pandemia e Quarentena, o alerta que deveria estar apenas no amarelo já acendeu a luz vermelha e é urgente uma ação de responsabilidade e mudança de comportamento! A origem de novos vírus; o desleixo com as questões de higiene e limpeza; as super populações urbanas; o enorme abismo social, entre mais pobres e mais ricos; o uso indiscriminado de defensivos e fungicidas e ainda as técnicas de reprodução artificial, cujo objetivo é o aumento indiscriminado da produção de alimentos, está certamente, provocando um desequilíbrio na natureza, o que nos leva agora, mais do que nunca, à uma séria reflexão. O que antes era apenas uma ameaça, hoje é uma certeza: o mundo parou! Para mim, está claro que nós, ironicamente chamados de humanos, estamos violentando a natureza e tornando a nossa permanência aqui, cada vez mais insustentável.

Os reflexos estão aí e já sentimos na pele, da forma mais triste e assustadora! Não temos como negar. Mas, pelo bem ou pelo mal, o certo é que não há mais volta: ou agimos ou estamos fadados à extinção, mais rápido do que se imagina. Por isso e cada vez mais, devemos aderir às práticas sustentáveis e de harmonia com a natureza, seja na mudança de comportamento e cuidado com o nosso corpo; com a nossa relação interpessoal; com mudanças de paradigmas e valores ou com a utilização racional de nossas reservas naturais. É preciso consumir menos bobagens e desenvolver cada vez mais hábitos naturais de consumo, incentivando as técnicas ancestrais de produção de nossos alimentos e nos engajar em movimentos de valorização da vida saudável e sustentável. Já existem é claro, movimentos desta natureza há algumas décadas, mas convenhamos, ainda estamos engatinhando e agindo de forma muito tímida, como é o caso da produção de vinhos, por exemplo!

Por isso hoje, quero falar deste tipo de cultura que faz um vinho mais saudável, e que utiliza de práticas amigáveis com a natureza, cujo crescimento se dá a uma média, de 20% ao ano, e já representa 5% da produção mundial. Países como Brasil, França, Chile, Argentina, Itália Portugal, Espanha entre outros, já tem suas plantações e produção voltadas para este mercado. Mas é os Estados Unidos, o pioneiro, cujo início se deu na década de 60, mais precisamente, na California. Então, vamos falar de vinhos Naturais, Orgânicos e Biodinâmicos, cujos diferenciais são as técnicas de cultivo, que de maneira geral, objetivam a harmonia entre fruto, terra, clima, método de vinificação e até os astros! Vamos à elas e uma boa leitura à todos!  

 

Vinho Orgânico

A produção de uma viticultura orgânica, compreende um sistema de plantio que se baseia na videira, mas também, na interação com a fauna e a flora e as condições climáticas em que esta, se desenvolve. É um cultivo que não utiliza defensivos químicos, como inseticidas e fungicidas, mas sim, a própria natureza e sua biodiversidade no controle de pragas e ameaças. É a busca de um equilíbrio, que pressupõe que os próprios ativos da natureza, são suficientes para nutrir a planta e defendê-la. Há por exemplo a utilização também, de animais, onde se cria gansos e ovelhas para serem os predadores naturais de um tipo de formiga que ataca os vinhedos. E no processo de vinificação de um vinho orgânico, basicamente, não há diferença de um vinho comum, o que muda é a pureza da matéria prima e as leveduras adicionadas, que são as chamadas selvagens, que são produzidas pela própria planta e seus frutos.

 

Vinho Biodinâmico

A produção de vinhos utilizando o método biodinâmico baseia-se na filosofia e ciência criada por um estudioso, filósofo e educador, austríaco de nome Rudolf Steiner, o pai das bases da cultura biodinâmica: a filosofia antroposófica! Pois de acordo com os princípios desta filosofia, uma propriedade para plantio agrícola deve buscar sempre, ser um ambiente totalmente autossustentável, em harmonia com o cosmo e ter a mínima interferência do homem. Assim, segundo ele, a terra poderá recuperar de sua energia vital a cada safra e passará a produzir frutos que expressem as características próprias do local. Mas é bom esclarecer, que que todo vinho biodinâmico é orgânico, mas nem todo vinho orgânico é biodinâmico. Mas por que?  Porque a biodinâmica é parte do cultivo orgânico só que vai mais além disso. Neste caso, entra novos atores como a utilização da ciência cósmica e dos astros, entre outros conceitos. O que basicamente se busca  é o retorno às técnicas ancestrais de agricultura, que sempre levou em conta, por exemplo, as fases da lua, as estações do ano e os ritmos da natureza para definir quais os momentos mais apropriados para o plantio, a poda e a colheita, entre outros parâmetros. Leva-se em conta também, o conceito da homeopatia, que se utiliza de algumas alquimias que levam em conta até chifre de animais, que  adicionados em esterco e outros elementos da natureza, e depois enterrados por um período, se tornam em poderosos fertilizantes naturais que é  aplicado no vinhedo! 

 

Vinho Natural

Talvez o tipo de cultura mais fácil para a nossa compreensão e o método natural – que tem o seu cultivo a partir de uma agricultura orgânica ou biodinâmica – neste caso é obvio que tem que existir a ausência total de agrotóxicos. Levando em consideração ainda, que desde o campo até o processo de vinificação, a preocupação com o cultivo deve estar voltada aos métodos e meios que tenham a menor interferência de insumos artificiais, e que o combate à insetos e pragas, tenha que surgir da própria natureza agindo como antídotos. Já no processo de vinificação, a premissa é a não utilização de leveduras, aromatizantes ou conservantes artificiais. Pois o objetivo é manter as características naturais da uva e do vinho, onde inclusive, alguns deles, não passam por filtragens. O resultado são vinhos mais escuros e espessos, mas 100% natural. Na agricultura orgânica, existem órgãos para regular e autenticar os poucos os produtores que se aventuram na modalidade de agricultura, já na agricultura natural, não existe uma regulamentação oficial para o uso do nome “vinho natural”, mas existe um certo consenso entre os produtores sobre as práticas permitidas para se obter um vinho nesse estilo. Para a maioria dos produtores, vinho natural é basicamente o mosto da uva de vinhas orgânicas que fermentaram com leveduras naturais e sem qualquer intervenção. Dessa forma, o enxofre é quase sempre banido e muitos se opõem ao uso do envelhecimento em carvalho também.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários