CidadeDestaque

Prefeitura de Uberaba divulga índice do terceiro LIRAa de 2018

O secretário de Saúde Iraci Neto e técnicos da Vigilância em Saúde e Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias, anunciaram nesta quinta-feira (9) os dados do 3º LIRAa de 2018. O índice de infestação apontado na pesquisa foi de 1,3%. Foram pesquisados 7.020 imóveis.
O LIRAa é o Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti, metodologia de trabalho que ajuda a mapear os locais com altos índices de infestação do mosquito, e consequentemente, alerta sobre os possíveis pontos de surto das arboviroses. Locais com índices de infestação predial inferior a 1% não apresentam riscos. Já aqueles com índice de infestação entre 1% e 3,9% são analisados como situação de alerta. Considera-se o risco de surto de dengue quando o índice de infestação é maior que 4%.
O secretário de Saúde, Iraci Neto, avalia que o resultado é positivo e demonstra o efeito do trabalho que vem sendo feito ao longo do ano, mas todos devem continuar em alerta. “Estes períodos avaliados passam a ser um indicador importante para o Município, e refletem resultado do planejamento de diversas ações pontuais e organizadas que fizemos neste ano. É um resultado gradativo e devemos observar que será um ponto de curva, pois teremos um novo período sazonal da dengue. Houve apoio da população e precisamos da colaboração de todos, que é essencial para continuar o combate ao mosquito”.
Dos 14 estratos – áreas em que o Município é dividido para a pesquisa – quatro apresentaram porcentagem menor que 1% de infestação. Essas áreas englobam as regiões do São Benedito, Centro, Abadia, Estados Unidos e Elza Amuí, e entorno. Já a porcentagem mais alta de infestação, que foi de 2,4%, é da região do grande Boa Vista.
Os principais criadouros continuam sendo aqueles encontrados dentro dos imóveis; 46,1% da infestação estão em depósitos móveis, que são vasos/frascos com água, pratos, garrafas retornáveis, pingadeira, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, materiais em depósitos de construção (sanitários estocados, canos) e objetos religiosos/rituais. Vinte e esete e meio por cento dos criadouros são em depósitos fixos, que incluem tanques em obras de construção civil, borracharias e hortas, calhas, lajes e toldos em desnível, ralos, sanitários em desuso, piscinas não tratadas, fontes ornamentais; cacos de vidro em muros, outras obras e adornos arquitetônicas (caixas de inspeção/passagens).
A chefe do Departamento de Controle de Endemias e Zoonoses, Lara Rocha Batista, esclarece que apesar de estarmos em um período mais seco e com temperaturas mais baixas, o mosquito ainda continua encontrando ambiente propício à proliferação. “É importante lembrarmos que os ovos do mosquito permanecem viáveis por muitos meses. Todos os ovos que estão sendo colocados agora no ambiente estarão viáveis no período quente e úmido”, alerta.
O Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias continua realizando o serviço de visitas domiciliares bimestrais com os agentes de combate à endemias. Nessas visitas, são prestadas orientações aos moradores sobre como evitar a presença de possíveis focos de proliferação de mosquitos. Apesar de não haver chuva neste período, há locais nos imóveis que possibilitam a água parada, como ralos e vasos sanitários em desuso, que funcionam como importantes mantenedores da proliferação dos mosquitos. “Por isso, a população deve manter-se atenta e cuidar para que juntos consigamos garantir a saúde de toda a comunidade”, pontua Lara Rocha Batista.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.