DestaqueEstado de Minas

Produtores de Minas recebem genética da Epamig e são capacitados em pecuária leiteira

Pequenos produtores rurais de Minas Gerais vão receber reprodutores Gir Leiteiro, com alta qualidade genética da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), e capacitação em manejo e nutrição de gado leiteiro. As ações fazem parte do Projeto de Socialização de Tecnologias e Reprodutores Gir Leiteiro da Epamig que contemplarão 40 associações de produtores no estado.
De acordo com o coordenador do projeto e de Transferência e Difusão de Tecnologia da Epamig Oeste, Reginerio Soares Faria, a partir de edital, a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Secretaria de Desenvolvimento Agrário (Seapa/Seda-MG) selecionou inicialmente 14 associações comunitárias para receber o benefício. Segundo o coordenador, levar o material genético e os resultados das pesquisas da empresa para as associações de pequenos produtores rurais vai possibilitar o melhoramento genético dos rebanhos. “A utilização de reprodutores de comprovada genética leiteira e fertilidade avaliada resultará em retorno do investimento de genética em lucro na atividade”. Ele informa que as informações sobre os reflexos do uso desta tecnologia e da capacitação realizada em cada comunidade serão acompanhadas pelo técnico local da Emater.
Santa Vitória, MG, será o primeiro município a receber o projeto. Os eventos de entrega oficial do reprodutor e de capacitação estão programados para amanhã, 13/03, na Fazenda Mãe do Ouro, no distrito de Barra do São Jerônimo, e dia 14 no Assentamento TA Nova Jubram.
O pesquisador da Epamig Oeste, André Penido Oliveira, vai ministrar curso sobre “Manejo Reprodutivo e Amansamento de Novilhas no Pré-parto, Visando Melhoria do Temperamento na Ordenha”. Ele comenta que vai concentrar sua abordagem nos cruzamentos da raça Gir, estratégias para aumentar eficiência reprodutiva do rebanho, nutrição e ambiência, relação entre a produção de leite e reprodução, além do comportamento animal e amansamento da vaca. “Os cuidados e fatores que interferem para o animal emprenhar, a importância econômica disso dentro da propriedade, além da reconcepção do animal, são assuntos que os produtores buscam. Por isso, além de demonstrar o intervalo correto entre partos, o que representa lucratividade na produção de leite, vamos apresentar índices e resultados de um estudo sobre manejo do afago animal e a sua influência na fazenda”, informa.
Já o pesquisador da Epamig Oeste, Leonardo de Oliveira Fernandes, realiza curso sobre “Manejo do Sistema de Produção do Gir Leiteiro da Epamig”, onde os produtores vão conhecer práticas de ordenha, pastagens, alimentação e reprodução. Serão apresentadas as técnicas de manejo da pastagem para vacas em lactação e metodologias de fornecimento de ração concentrada para complementar os nutrientes fornecidos pela forrageira em condições de pastejo da fazenda. Será abordado também manejo nutricional das vacas em lactação para o período da seca, onde a empresa trabalha utilizando silagem de milho como volumoso e ração concentrada fornecida de acordo com a produção de leite. E ainda, será apresentado manejo de ordenha que visa à obtenção de leite de qualidade e redução da mastite. Segundo o pesquisador, os participantes terão acesso a metodologias de manejo reprodutivo de vacas da raça Gir, técnicas que tem possibilitado idade ao primeiro parto de 37 meses e intervalo de partos de 13,5 meses.
O Projeto de Socialização de Tecnologias e Reprodutores Gir Leiteiro da Epamig é realizado pela parceria entre Epamig, Emater, Anater, prefeituras, associações de produtores rurais e Ministério Público do Trabalho. Para mais informações ligue 34 3251 1895.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.