NacionalNotícias

Profissionais da indústria 4.0 terão melhor remuneração

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, disse ontem (13) que o novo contexto da Indústria 4.0 vai abrir espaço para que os profissionais capacitados tenham melhor remuneração. O ministro participou de seminário promovido pelo jornal Folha de São Paulo, na capital paulista.
A Indústria 4.0, também chamada de quarta revolução industrial, agrega tecnologias para automação e troca de dados se integram à organização das empresas. Fazem parte do conceito a computação em nuvem, a digitalização, a inteligência artificial, a internet das coisas, a manufatura aditiva, a realidade aumentada, a robótica, os sen sores inteligentes e as simulações virtuais.
O ministro elencou situações em que a transformação digital já impacta nas relações de trabalho. “Quando fazemos uma simples ligação para um call center, não temos mais a presença do atendente. Mas, tem muita gente empregada para fazer a programação do software”, exemplificou.
Capacitação – A Universidade Federal do Amazonas inicia, em agosto, cursos de mestrado e doutorado sobre a Indústria 4.0, em parceria com a Universidade de Lisboa. “É fundamental que tenhamos adequação da grade curricular, a academia próxima”, afirmou o ministro.
O gerente de Política Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), João Emílio Gonçalves, disse que o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) vem identificando as necessidades futuras de qualificação profissional na elaboração dos seus cursos.
Para Gonçalves, basta olhar o passado para concluir que as transformações na indústria “sempre caminharam para o bem”, como quando houve a substituição do esforço braçal pela robótica. “Estamos passando da fase de enxergar [as mudanças provocadas pela Indústria 4.0] com visão catastrofista. Temos certeza que, se o Brasil não acompanhar os processos, os impactos serão devastadores.”

 

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.