Cidade

Sebrae Minas estimula a inovação em Uberaba

O “Comitê Gestor do Ecossistema de Inovação de Uberaba Zebu Valley” se reuniu na quarta-feira (10), no Parque Tecnológico, para organizar e articular ações e programas que irão fomentar o setor tecnológico do município, a partir da inovação. Representantes do Sebrae Minas e de outras instituições e startups estiveram presentes para debater sobre o assunto e definir estratégias para organizar a oferta tecnológica do município. Criado em 2016, o Comitê reúne mais de 20 entidades, abrangendo universidades, empresários, associações e centros de pesquisas. O nome “Zebu Valley” foi escolhido em alusão ao “Vale do Silício”, nos EUA.
Na oportunidade, a analista do Sebrae Minas Carla Batista Ribeiro esteve em Uberaba para discutir o planejamento de ações e estratégias de comunicação para 2019. “Aqui, já temos competência científica instalada e ofertamos todo o suporte para quem quer trabalhar com inovação. Porém, é preciso elaborar uma apresentação unificada, criar uma agenda de eventos, definir empresas participantes, divulgar novas tecnologias e alinhar nossas metodologias para atrair mais entidades e suprir as demandas. Precisamos repactuar as ações e fortalecer o ecossistema tecnológico local, a fim de oportunizar negócios”, pontuou.
Para a gestora do Parque Tecnológico de Uberaba, Raquel Resende, a presença do Sebrae Minas é fundamental para a realização desse processo, porque traz um olhar de competitividade. “A Unidade de Inovação e Competitividade do Sebrae tem muita autoridade no assunto. Precisamos dessa experiência para nos orientarmos, pois não adianta nada produzir sistemas inovadores se não forem aplicados na prática.”
A analista do Sebrae Minas Vanessa Visacro também destaca o intuito de desenvolver a competitividade territorial para o sucesso do Comitê. “Inevitavelmente, esse processo vai ser guiado pela inovação, já que temos vários atores envolvidos, como universidades, federações e empresários. Dessa forma, vai nos permitir compreender bem a dinâmica desses ecossistemas, para ampliarmos a competitividade da região”, explica.
Na opinião da analista do Sebrae Minas, Joana Rafaela Corrêa, o ecossistema de inovação é um ambiente onde estão presentes empresas, empreendedores, instituições e agentes que atuam de forma harmônica e colaborativa. “Isto permite que os fluxos de conhecimento fomentem o desenvolvimento e crescimento de tecnologias e novos negócios”, diz.
Além do Sebrae Minas, compareceram à reunião representantes da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), da Incubadora de Empresas da Universidade de Uberaba (Unitecne), das Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu), da Fundação Triângulo e das startups FCJ Triângulo Venture Builder, Zebutec, Valim Software, Oficina 5, TracAge, GDG Uberaba e TedxUFTM.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.