Estado de Minas

Solenidade marca promulgação do piso da educação em Minas

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) vai realizar nesta quinta-feira (2), às 10 horas, no Salão Nobre, um ato público em comemoração à promulgação da Emenda Constitucional 97.
A norma, oriunda da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 49/18, de autoria coletiva de 73 parlamentares e aprovada no dia 25 de julho no Plenário, vai garantir, na Carta Estadual, a obrigatoriedade de pagamento do piso nacional do magistério aos servidores da educação.
A emenda entrará em vigor com a publicação da sua promulgação pela Mesa da Assembleia, o que deve ocorrer na própria quinta-feira (2).
Os valores devidos aos trabalhadores da educação deverão ser reajustados na mesma periodicidade e em decorrência de atualizações do piso nacional, que será pago aos servidores com jornada de 24 horas semanais das seguintes carreiras: Professor de Educação Básica (PEB); Especialista em Educação Básica (EEB); Analista de Educação Básica (AEB); Assistente Técnico de Educação Básica (ATB); Técnico da Educação (TDE); Analista Educacional (ANE); Assistente de Educação (ASE); Auxiliar de Serviços de Educação Básica (ASB).
“A aprovação da PEC 49/18, futura Emenda Constitucional 97, foi o coroamento de um processo de luta e parceria com os sindicatos, em especial o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE). É uma conquista importante dos professores e demais trabalhadores da área e que se soma à aprovação, no ano passado, do Adicional de Valorização da Educação Básica (Adveb), que garantiu a retomada da carreira dos servidores”, destaca o deputado Rogério Correia (PT), primeiro signatário da proposta.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.