Cidade

Stiquifar tem 50 novas sindicalização em 2 horas

O Stiquifar – Sindicato dos Químicos e Farmacêuticos de Uberaba e Região, teve 50 novas sindicalizações em apenas duas horas, mesmo com todas as mudanças legais trabalhista iniciadas ainda no governo Temer, a inconstitucionalidade da Medida Provisória 873 e todos os desmontes promovidos com o intuito de extinguir os sindicatos, comprovando que trabalho e credibilidade fazem a diferença.
Para a presidente Graça Carriconde, as sindicalizações mostram que o Stiquifar está fazendo um trabalho sério, mas o principal motivo, é a conscientização do trabalhador. “São anos de trabalho. Muita dedicação. Mas eu acho que o trabalhador está acordando. Ele precisa acordar. Diante a um governo que quer escravizar, todos nós precisamos acordar”.
Outro pronto que chama a atenção na mudança de comportamento do trabalhador e até das empresas, é que o Stiquifar já não precisa ir em busca de sindicalizados. “As empresas, os RHs e trabalhadores estão vindo ao sindicato para nos convidar para entrarmos com negociações e acordos coletivos como é o caso as Fertilizantes Tocantins de Araguari. “Eles entraram em contato com a gente, e pediu que fossemos até lá. Isso já aconteceu com algumas empresas em Uberaba, mas esse número está aumentando. Isso significa conscientização”.
Vale ressaltar que hoje, o Stiquifar atende 14 municípios de região. Dentre eles, Uberlândia, Frutal, Araguari, Santa Juliana, Santa Vitória, Tupaciguara e algumas com endereço empresarial no estado de São Paulo.
Graça também alerta para as mudanças previstas como a aprovação da reforma da previdência e pede a população que participem das manifestações ainda a única forma de combater a aprovação de leis que prejudicam a população.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.