Política

Vereadores mantém veto à proposta que estende prazo da Certidão Negativa

Objetivo da lei complementar é estender o prazo de validade da CND, aumentando o prazo de 90 dias para seis meses

O veto total à proposição de Lei Complementar nº 580/2018, que altera a norma que institui o sistema tributário do município, cujo objetivo é estender o prazo de validade da Certidão Negativa de Débito (CND) [aumentando o prazo de 90 dias para seis meses], foi mantido pelo Legislativo na sessão desta quarta-feira (12), na Câmara Municipal.
O Poder Executivo justificou a discordância afirmando que a matéria é inconstitucional, ilegal e vai de encontro ao interesse público. “A proposta viola o princípio da separação dos poderes previsto no art. 2º da nossa Carta Magna ao impor obrigações ao Poder Executivo. A alteração implica em mudança do sistema informatizado da Prefeitura Municipal, além de toda a sistemática de trabalho. É certo que o projeto cria/aumenta uma despesa sem estimativa de impacto orçamentário-financeiro, o que o torna ilegal.”
Estender o prazo de validade da Certidão Negativa de 90 para 180 meses cria uma renúncia de receita, visto que os débitos serão estendidos, afirma a Administração Municipal. “Não consta da Lei qualquer fonte de recurso para custear as despesas criadas pela referida norma”, explica a prefeitura.
O líder do Prefeito e autor da proposta vetada, Rubério dos Santos (MDB), explicou que o prazo de seis meses para a CND nacional já funciona através de Portaria. Mesmo assim, Rubério pediu aos colegas que mantivessem o veto à matéria apresentado na Casa. “Diante da justificativa da Administração Municipal de que passamos por um momento financeiro complicado, peço a compreensão de todos. Porém, já adianto que futuramente apresentarei outra proposta nesse sentido no Legislativo”, contou o vereador.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.