Carlos Alberto Pereira - Vinhos & TalColunasNotícias

vinhos & tal

Sangiovese

Falar de uvas pouco conhecidas, ao contrário do que se imagina, é bem mais fácil do que falar de uvas muito conhecidas e que fazem vinhos clássicos e desejados mundo à fora. Mas por quê? Você já deve estar se perguntado. É que há uma imensidão de informações disponíveis sobre o assunto e com diversos e mais ecléticos pontos de vista a respeito. Pois, assim como cada vinho é único, a percepção de quem o toma também é única e pessoal. Mas sempre há um ponto de convergência! E é justamente neste ponto que me apoio para falar para vocês, hoje, da casta autóctone italiana Sangiovese.
Para começar, é bom que se destaque que esta é a uva que faz os mais emblemáticos e caros vinhos italianos, que são verdadeiras obras de arte, que encantam os entendidos e amantes do vinho. Quem já não ouviu falar dos Chiants, dos Brunellos, dos Nobiles di Montalcino, dos Morelinos di Scansano e mesmo dos “Super Tuscan”? Pois é, acredito que aquele que tenha o mínimo de conhecimento sobre o tema já ouviu (nem que seja de longe) falar destas preciosidades. Por isso, vamos aqui despretensiosamente, e mesmo que numa só pincelada, mostrar um pouco desta uva. Mas, lembrando que existem inúmeras referências e interessantes artigos, livros e na internet que podem complementar o seu conhecimento sobre esta casta.
Boa leitura!

Origem
A Sangiovese é uma uva tinta italiana, amplamente produzida na região central da Itália, pertence à família da Vitis vinífera. A origem de seu nome vem de sanguis jovis, em latim “sangue de Júpiter”. É uma uva autóctone, típica da Toscana. Dela se fazem vinhos de estilos e personalidades bem distintas, com características diversas dependendo do seu terroir.

Características
É uma uva de amadurecimento tardio, ácida, tânica e frutada. Os cachos têm muitos bagos, pele grossa e melhor se desenvolvem em solos pobres de clima temperado.

Onde é cultivada
A Sangiovese é a uva nº 1 da Itália, a mais plantada e ocupa cerca de 100.000 hectares. Fora da Itália é encontrado o cultivo desta cepa em países como: Argentina, Austrália, Estados Unidos, França (Córsega), Uruguai, Romênia, Chile e Brasil. Aqui no Brasil, a produção ainda é pequena e em sua grande maioria concentrada no Rio Grande do Sul. Mas no interior do estado de São Paulo, mais precisamente ao norte, no município de Ituverava, há uma vinícola, a Marchese di Ivrea, que cultiva a Sangiovese e faz vinhos varietais com a mesma.

Outros nomes
A Sangiovese varia de nome conforme a região que é cultivada na Itália, onde seus clones são conhecidos também como: Sangiovese Grosso ou Brunello em Montalcino, Prugnolo ou Prugnolo Gentile em Montepulciano, Morellino em Morellino di Scansano. E, ainda, Tignolo, Nielluccio, Nerino, Uva Canina, Uva Brunella, e Sangioveto.

Características
dos vinhos
Esta uva entrega vinhos de estilos e personalidades bem distintos, refletindo a personalidade do seu terroir. São vinhos de grande elegância, acidez, versatilidade e complexidade. E os bons vinhos feitos com a Sangiovese são ricos em acidez e taninos. Normalmente, produzem vinhos tintos de corpo médio com estrutura tânica que vai de média a forte. Em sua grande maioria, estes vinhos apresentam uma cor de rubi intenso; na boca e nariz cereja, amoras, ameixas e mirtilo e em seus aromas florais, pode-se encontrar violetas e rosas, além de notas de ervas e especiarias. Nos vinhos envelhecidos, sobressai a baunilha e o tabaco. Vinhos famosos como Chianti, por exemplo, são mais leves e macios, um Vino Nobile di Montepulciano são mais encorpados, ou ainda, os mais ricos e complexos, com grande capacidade de envelhecimento, como o Brunello di Montalcino. Nos vinhos modernos, os chamados “super tuscan”, esta uva em blend com a Cabernet Sauvignon, faz vinhos complexos e elegantes como o Sassicaia. E da uva Sangiovese saem ainda vinhos espumantes e rosés e de sobremesa também!

Harmonização
Os vinhos feitos com a uva Sangiovese são aqueles que mais coerentemente harmonizam com a tradição gastronômica de seu terroir. Daí a culinária italiana ser a mais perfeita para combinação de pratos e vinhos! Vejamos: massas com molhos intensos, carnes vermelhas, carnes de caça, como javali, carne de cordeiro, filet à parmegiana, pizzas, risotos de fungui sechi, linguiça calabresa e queijos mais duros, são apenas alguns dos pratos da rica gastronomia italiana que combinam com perfeição com os vinhos de uvas Sangiovese. Mas, claro, melhor será esta experiência gastronômica quando as caraterísticas de cada vinho (encorpado, suave e leve, complexos, frutados) estiverem de acordo com o prato.

Dica de vinho
Poderia aqui fazer a indicação de um destes vinhos famosos, icônicos, feitos com a uva Sangiovese e que custam fortunas. Mas acho que seria óbvio demais! Por isso arrisco, e com tranquilidade, a convidá-los a conhecer um vinho brasileiro, muito pouco conhecido, produzido em uma região inusitada e em um terroir de características (no mínimo) intrigantes para os padrões clássicos de cultivo da Sangiovese. E depois, no cultivo é utilizada uma técnica brasileiríssima, que é a dupla poda e vindima invertida. Indico o vinho Arduino, 100% de uva Sangiovese, da vinícola Marchese di Ivrea.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.