Veículos

Volvo traz evolução tecnológica na linha 2020

Caminhões F da Volvo ganharam um novo software capaz de considera a topografia e o peso do veículo

Os modelos 2020 da linha de caminhões F da Volvo ganharam um novo software capaz de considera a topografia e o peso do veículo para determinar de maneira mais exata a injeção de combustível e, assim, identificar a real necessidade de torque e potência. Segundo a marca, de acordo com os testes realizados nos últimos dois anos, a tecnologia, batizada de Aceleração Inteligente, pode proporcionar redução no consumo de combustível em até 10%.
“O desenvolvimento do programa buscou aproveitar a inércia para encontrar o ajuste necessário para se gastar menos”, conta Carlos Paulin, engenheiro de vendas de caminhões da Volvo. “O motorista é peça chave na condução econômica, mas também a tecnologia contribuirá para trazer médias de consumo melhores, independentemente da ação do motorista.”
Outros aprimoramentos na linha ainda refletem diretamente na rentabilidade do negócio e na disponibilidade do veículo. O motor de 13 litros que equipa as linhas FH, FM e FMX ganhou mais eficiência com novas camisas de cilindro, anéis raspadores que reduzem atrito e unidades eletrônicas dotadas de mais memória. Também agora funciona com um lubrificante mais viscoso, o que permitiu ampliar os intervalos de troca em até 33%.
Para alcançar os resultados apresentados pelos novos modelos, Volvo e parceiros conduziram testes nas mais variadas operações, tendo como comparativo modelos anteriores da marca em condições iguais. Pelas contas da usina São Manoel, da Coopersucar, a economia gerada por veículo a cada safra seria de R$ 22 mil ou cerca de R$ 770 mil, considerando a frota de 35 unidades.
Para os modelos 2020, a Volvo também atualizou a linha de semipesados VM com ajustes na cabine e mais praticidade para o dia a dia. A começar pela aparência, o caminhão recebeu retoques que o aproximam da linha F, tem novo quebra-sol com função aerodinâmica, como também os defletores de ar passaram a ser ajustável. “Minimizamos o impacto aerodinâmico do veículo, que agora também pode contribuir com mais economia, de 0,2% a 0,3%”, garante Alvaro Menoncin, gerente de engenharia de vendas da fabricante.
Depois, os VM ganharam para-choque tripartido, cobertura no último degrau de acesso à cabine, o que pode reduzir custos operacionais em eventuais consertos na troca somente da parte danificada, espelho frontal maior e o tanque de água foi reposicionado, saindo de trás da cabine para a dianteira. “O novo lugar permitiu facilitar acesso nas rotinas de verificações diárias, eliminando a necessidade de subir na caixa da bateria, além de possibilitar um implemento maior”, observa Menoncin.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.